Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



DIA M na Gulbenkian – “Rising Stars”

por Francisco Carita Mata, em 19.02.17

Dia da Música

 

“PORTAS ABERTAS – RISING STARS”

 

Fundação Calouste Gulbenkian – 19 de Fevereiro – Domingo

 

Portas-Abertas Claudia Hohne Rising stars.jpg

 (Imagem "Rising Stars" - cortesia Claudia Hohne)

 

*******

 

A “Gulbenkian Música” reeditou este ano “Portas Abertas”, hoje, domingo, 19 de Fevereiro. (Clique em "Portas Abertas", para conhecer o programa, se faz favor.)

 

Foi um evento memorável, pelo menos nos concertos a que assistimos.

 

No Grande Auditório, ouvimos Horácio Ferreira, em clarinete, acompanhado por Dávid Bekker, ao piano, pelas quinze horas.

Mariam Batsashvilli, ao piano, pelas dezassete.

Pelas dezanove, Tamsin Waley-Cohen, em violino, acompanhada ao piano por James Baillieu.

 

Não teve oportunidade de assistir a nenhum dos concertos ou outras atividades realizadas hoje na Gulbenkian?! Nem sabe o que perdeu!

 

Nunca me lembro de ter visto a Fundação com tanta gente. Em concomitância, decorre a Exposição sobre Almada Negreiros.

De modo que nem lhe digo. Imensa gente por todo o lado, na parte de tarde. De manhã, não sei!

De tarde, além da Música e atividades correlativas, gratuitas, a entrada nos Museus também é grátis.

Filas na restauração, filas nas atividades musicais, filas nos museus e respetivas entradas.

 

Gostámos especialmente do clarinetista, Horácio Ferreira, para que remetemos o seguinte link no youtube.

(Para além da música, não quero deixar de relator a postura do executante. Praticamente ele dança com o clarinete, com ele mesmo e com a pauta. Um aparte a registar.

A executante ao piano, Mariam Batsashvilli, para além da sua maestria enquanto artista, também é muito característica na sua expressão corporal. E executa várias peças sem pauta. De memória, certamente!)

 

Se não teve ocasião para assistir, no programa distribuído, referem que a RTP – Antena 2 gravou os “Concertos Rising Stars”. Aproveite. Não perca!

 

(Com tanta gente, acabam por ocorrer sempre os momentos caricatos:

Os inefáveis e inseparáveis telemóveis e, hoje, domingo, as imprescindíveis crianças “obrigadas” a participarem nestes acontecimentos. Pois, a quem os deixar, se é fim de semana?!)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:08



Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Temas

Poesia

Arquivos

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog