Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Nova Série da RTP2, da Television da Galicia

por Francisco Carita Mata, em 01.09.15

 

"HOSPITAL REAL"

hospital-real  media.rtp.pt extra.jpg

 

Iniciou-se ontem, 2ª feira, dia 31 de Agosto, uma nova série europeia na RTP2. Esta da Televisão da Galiza: “HOSPITAL REAL”.

Terminada a série “No Limite”, que não acompanhei, não fazia o meu género, acho que vou seguir esta nova série.

Uma temática de época: final do século XVIII, enquanto se iniciava a Revolução Francesa (1). Em Espanha, reinava Carlos IV, sendo ministro o já nosso conhecido Dom Manoel de Godoy (2).

Intriga, mistério, enredo, ação, crimes; conflitos e preconceitos sociais, luta entre ideias e ideais contraditórios; as transformações sociais da época, ascensão da burguesia, declínio da nobreza que se esforça por manter os antigos privilégios; importância do poder régio, das famílias tradicionais e da religião, nalguns aspetos no seu lado mais negro, materializado ainda na inquisição. A aparente impunidade de quem se arroga detentora de poder divino, substituindo-se a Deus, malvadez materializada na freira chefe.

E romance quanto baste…

A ação decorre na Galiza, predominantemente em Santiago de Compostela, em cenários naturalistas, tanto no campo como na cidade.

E no Hospital Real, que dá título à série. A medicina da época, os seus conhecimentos ainda limitados; a sua ligação à religião e à Igreja, tanto no plano conceptual como formal, social e profissionalmente.

Personagens principais: Olalla, jovem candidata a aprendiz de enfermeira e Daniel, jovem médico recentemente formado em Paris, que regressa à sua Galiza natal. O herói e a mocinha…

Em contrapartida, no papel de bruxa má, a mencionada enfermeira-chefe: o terror do hospital.

Vou seguir como fiz com as outras séries europeias!

 Crime? Ou Castigo?

 

(1) Viagens Surreais no Tempo!

(2) Guerra das Laranjas

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:44



Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Temas

Poesia

Arquivos

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog