Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Quadras Tradicionais III

por Francisco Carita Mata, em 13.06.16

“Quadras e Santos Populares”

  

artemísia in. es.minitu.com

 

“De altemira fiz um ramo

De alfazema bem composto

O Amor que agora amo

Foi escolhido ao meu gosto.”

 

“Santo António é a treze

São João a vinte e quatro

São Pedro a vinte e nove

Santa Isabel no cabo.”

 

“São João perdeu a capa

No caminho do estudo

Juntaram-se as moças todas

Compraram-lhe uma de veludo.”

 

“São Pedro é um velhinho

Homem de muito juízo

Foi a quem Deus entregou

As chaves do Paraíso.”

 

“No altar de Santo António

Estão umas fitas amarelas

Santo António subiu ao Céu

A pedir pelas donzelas.”

 

“Orvalhadas, orvalhadas

Orvalheiras, orvalheiras

São João subiu ao Céu

A pedir pelas solteiras.”

 

“No altar de São Pedro estão

Umas fitas encarnadas

São Pedro subiu ao Céu

A pedir pelas casadas.”

 

“Santo António é uma cana

São João uma bandeira

São Pedro por ser velhinho

Senta-se numa cadeira.”

 

“Oh, meu rico Santo António

Um favor lhe quero pedir

Mande umas pinguinhas de água

Para o milho não dormir.”

 

“São João para ver as moças

Fez uma fonte de prata

As moças não vão lá

São João todo se mata.”

 

“São Pedro adormeceu

No colo da sua tia

Acorda, Pedro acorda

Que amanhã é o teu dia.”

 

“Nossa Senhora faz meia

A linha é feita de Luz

O novelo é Lua Cheia

As meias são para Jesus.”

 

Notas:

1 - Haveria múltiplas e diversas considerações que seria interessante explanar sobre estas “Quadras Populares”. Neste post apenas pretendo registá-las, documentando-as e dando-as a conhecer, ou recordar, para quem eventualmente já conheça.

2 – “Altemira” é a designação “tradicional”, na Aldeia, da planta artemísia.

3 – A recolha destas “Quadras Tradicionais” foi da competência de D. Maria Belo Caldeira, Aldeia da Mata, 2015/2016.

4 - A foto foi retirada de "es.minutu.com". Tentarei arranjar uma foto original, para partilhar também na net, como muitas, noutros posts.

Consulte também, SFF.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:03



Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Temas

Poesia

Arquivos

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog