Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Um Poema dedicado à Mãe! A todas as Mães!

por Francisco Carita Mata, em 06.05.17

«AMOR DE MÃE»

 

DIA da MÃE

  

IMG_20160725_182014.jpg

 

«Amor de mãe é pra sempre / …

Dia da Mãe, mais que justo celebrar /…

Comemora-se o Dia da Mãe /…

Binómio sagrado, que Deus fez; / …

Obrigada por me teres dado a vida, / …

Minha mãe é minha amiga / …

O lugar da Mãe é sempre no trono da alma e da memória. / …

A Mãe é ninho de Amor / …

Mãe, fazes-me falta… / …

A mãe é nascente de vida, de alma pura, / …

A minha fada do lar /…

Aconchego-me no teu colo / …

Mãe, com tua pele de seda, teus cabelos pretos, olhos verdes, eras uma menina linda. / …

Mãe / Muito jovem partiu / …

Minha mãe é pobrezinha / …

Quero-te Mãe / …

Chamarei sempre o teu nome / …

Porque são os vossos olhos tristes? / …

Estamos a chegar a mais uma Páscoa! / …

Já não tenho pai nem mãe, / …

Tu mulher querida mãe, / …

Outono da vida – Inverno, muito frio! / …

É o eixo entre os filhos e o marido e todos os familiares, / …

No céu existe uma estrela / …

Mãe… / Um nome suave, tão doce / …

Menino (lembro-me tão bem) / …

No teu perfumado e doce ventre, / …

O navio… ia navegando, / …

Saudosos dias… / …

… A Mãe era mais discreta… / …

Ser mãe é ser o farol / … »

 

*******

 

Este Poema dedicado a todas as Mães, mesmo às que só puderam sê-lo, espiritualmente, foi “criado” por todos os Poetas e Poetisas que participaram na “Coletânea de Poesia e Prosa Poética” – 2017, subordinada à temática “Pai e Mãe”, de vários Autores e coordenada pela vice-presidente da APP – Associação Portuguesa de Poetas, Maria Graça Melo.

De cada poema, recolhi o primeiro verso ou aquele primeiro em que primeiro se fala especificamente da Mãe. De duas prosas poéticas, os títulos, que realcei, que assim estão nos textos originais.

Alguns textos não estão unicamente direcionados para as Mães. Mas, deles, lá está o 1º verso!

Estruturei-os pela ordem em que se encontram alojados no livro e resultou, digo eu, um lindo Poema Coletivo.

Ou não?!

Sim! Eu atrevo-me a dizer que concorda comigo. Concretizámos um Lindo Poema!

Faça o favor de ler com atenção!

Até seria muito interessante que, um dia, fosse lido em conjunto. Pode ser…

 

Ah! Falta frisar que, na concretização desta ideia, inspirei-me na metodologia utilizada no Prefácio da XX Antologia da APP, 2016, da Autoria de João Coelho dos Santos.

 

A foto é um original de D.A.P.L. – 2016.

 

(P.S. – Dir-me-á que falta referir o nome de todos os Antologiados. O que é inteiramente verdade. Darei conhecimento no próximo post, em que estruturarei os versos direcionados aos Pais. Que conseguiremos também um lindo Poema coletivo!)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:06



Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Temas

Poesia

Arquivos

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog