Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



XIII Antologia de Poesia do C. N. A. P. – Poema: “Tudo o que não consigo ter...”

por Francisco Carita Mata, em 05.02.16

Círculo Nacional D’Arte e Poesia

 

Antologia

 

Neste Post Nº 307, divulgamos um Poema sem título, de António José Diniz Sampaio, de Lisboa, mas de que realço o 1º verso, “Tudo o que não consigo ter...”, como é costume nestas situações.

 

 

“Tudo o que não consigo ter

mais tudo o que não consigo sentir

é igual a tudo o que nunca conseguirei ver!

E ainda tenho de regar as plantas

dar comida aos pombos

e escrever...”

 

 

António José Diniz Sampaio, Lisboa

 

Ilustro com uma sugestiva imagem obtida na “net”.

 

pombos in. pracadarepublicaembeja.net.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:18



Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Temas

Poesia

Arquivos

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog