Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

“Momentos de Poesia - Gostar de Portalegre”

“Desde 2006 a Dar Voz aos Poetas”!

Dia 11 De Maio – Sábado – 16h. 30’

Local: Corredoura

Portalegre 2015 Foto original. jpg

 

“E o Poeta José Duro ali estará para nos acolher e apoiar a nossa Poesia”.

"Organização: Deolinda Milhano"

 

 

A persistência de um Sonho. A concretização de um Projeto. A resiliência face à adversidade, perante as dificuldades, que não têm obstado à criação e manutenção deste “Dar Voz aos Poetas” e Poetisas também, regularmente, há mais de uma década!

Vai ser mais uma tarde de Homenagem a Portalegre e de Celebração da Poesia!

Participe, SFF!

 

Jogos de Poder – Final 1ª Temporada

Jeux d’influence - Série Europeia

Série Francesa – RTP 2

Episódio 8 – 5ª feira – 2 de Maio

 

Finalizou a primeira temporada desta interessante série francesa, em exibição na RTP2, na sequência de muitas outras, igualmente bastante importantes, que têm sido apresentadas, que tenho visualizado, embora nem sempre tenha tido ocasião de escrever sobre elas.

 

O político em ascensão, Guillaume Delpierre, subiu mesmo na hierarquia ministerial. Foi convidado pelo Primeiro – Ministro, para Ministro da Agricultura. Aceitou, mas frisou que não vai servir os interesses das agroquímicas. Já serviu! Que ao incluir a cláusula de que o prazo para a proibição do Lymitrol é prorrogado por 24 meses, já se agachou perante a Saskia. Fez o que eles queriam, cedeu-lhes às chantagens e ameaças, proporcionou-lhes tempo para escoarem o produto e prepararem a entrada do Edenax no mercado.

Não sei se daí tirará algum dividendo ou se agarrou mais um espinho para se picar, mais uma rede para se prender!

 

O agricultor, Michel Villeneuve, conseguiu o objetivo: o seu caso irá a julgamento. É uma vitória, só por si e desde já, pois haverá a possibilidade de, através do julgamento, provavelmente mediático, serem divulgadas todas as tramoias da Saskia e Bowman, e a perigosidade dos produtos no mercado e do tipo de agricultura que os serve. Equaciona com o filho a possibilidade de se dedicar à agricultura em modo biológico, como este vem pretendendo.

 

A jornalista, Claire Lansel, conseguiu, com persistência e sageza, contornar as ameaças de Bowman, entrar em contacto com vítimas das chantagens da Saskia, Sorensen e o cientista, e envolve-los numa possível incriminação da empresa produtora do pesticida.

Deram a conhecer a situação, longe de tudo e de todos, com muita discrição e receio, à mulher de Didier, mãe de Chloé, explicando preto no branco o que acontecera com o marido, o que estava a acontecer à filha. Após a respetiva retirada da clínica e com a sua ajuda e do irmão, a mulher apresentou queixa pelo assassinato do marido.

 

Previamente, enfrentou Andrew Percy, com a gravação do telefonema do marido, Didier, antes de morrer, para o colega e supostamente amigo, Andrew, altamente comprometedora para este. Na presença de Bowman!

Mais tarde, este raposão matreiro, no habitual almoço de chefões, apresentaria a carta de demissão da Saskia para Andrew assinar. Este riu-se cinicamente, levantou-se da mesa e foi-se embora.

 

(Chamem a esta gente, “Grupos de Pressão”, “Lobbies”, “Gabinetes de Consultoria”… Designem o que fazem como lobbying…consultoria… Nomeiem-nos como quiserem! O que realmente fazem?!

Crime! Crime de colarinho branco, o mais difícil de levar a Tribunal e condenar! Principalmente, porque envolve gente de poder e de dinheiro. Dinheiro que tudo compra!)

 

E Romain Corso?! Após se ter desligado do seu mentor, Delpierre, voltou a meter-se nas drogas, mas… reencontrou-se com Claire!

 

Está tudo em aberto para uma segunda temporada, que não sei se prosseguiu ou não, que não tenho tido possibilidade de aceder à TV!

 

Jogos de Poder - Problemáticas Ambientais!

Jogos de Poder - Jeux d’influence

Séries Europeias

Série Francesa – RTP 2

Episódio 6 – 3ª feira – 30 de Abril

Caro/a Leitor/a,

Viu o sexto episódio?

Andrew Percy tem muitíssimo que contar. Que ele é o chefão!

Que cinismo! Que crueldade, a forma como trataram Chloé, como enredam Claire, como gozam com a desgraça de Villeneuve!

Poderosos, com dinheiro, com influência, põem ao seu serviço, do vil metal, do lucro, os mais diversos profissionais. Advogados, Médicos, Enfermeiros, Psicólogos, Cientistas… faltam à Verdade, para servirem o Dinheiro!

Que deveriam agir com isenção, com inteligência, com humanismo, com seriedade, em defesa da Verdade, dos desprotegidos, dos mais fracos e, em última instância, deles próprios.

 

Sim! Porque estas problemáticas ambientais, dos produtos tóxicos, que degradam o mundo em que vivemos, afetam-nos a todos, de uma maneira ou outra, mais tarde ou mais cedo. Que o Mundo, a Terra é apenas uma e todos os seus elementos em relação umbilical: Terra, Mar e Ar!

Ainda que haja muita gente, em torres de marfim, que se acha acima e para além de todas as desgraças que afetam os Outros.

 

É imperioso e urgente uma atenção redobrada aos problemas do Ambiente!

 

E, Caro/a Leitor/a, esta, hoje, é a crónica possível sobre o episódio desta importantíssima série francesa.

Continue a visualizar, S. F. F.

Obrigado!

Jogos de Poder - Jeux d’influence

Séries Europeias

Série Francesa – RTP 2

 

Mais uma excelente série na RTP 2. Esta sobre as problemáticas do meio ambiente, o uso de pesticidas na agricultura, com vista ao aumento da produção e consequente geração de lucros para as empresas produtoras dos agroquímicos, sem ter em conta os malefícios para o ser humano, outros seres vivos, as plantas, a própria terra, que vai sendo irremediavelmente destruída pela acumulação de detritos residuais e consequente alteração dos solos.

Vê isso tudo na série?! Perguntar-me-á. (…)

Este é o cerne da questão tão acutilante e atual, infelizmente, mas que nem damos por ela, tão assoberbados pelos nossos dias de alienação mediática e virtual.

Estamos a ser alimentados, diariamente, por produtos geneticamente modificados, carregados de pesticidas nocivos. Desenvolvendo nos seres humanos, doenças cada vez mais incuráveis, o cancro, a mais perniciosa, por demais frequente.

 

O/A caro/a Leitor/a já reparou que as empresas produtoras dos agro químicos, dos pesticidas, são as mesmas que produzem os medicamentos?! Pode pesquisar, SFF.

Carregar nos pesticidas, para aumentar a produção (tanto desperdício alimentar!), desenvolvimento de doenças, e lá vem a medicamentação para as hipotéticas curas. Ganham, ganham nos dois carrinhos, como diz o aforismo.

 

Mas que tem isso a ver com a Série?!

Se visualizar, poderá fazer a sua própria leitura.

Iniciou-se a 23 de Abril, faz hoje oito dias, irá para o sexto episódio, esta noite, pouco depois das vinte e duas, na RTP2.

 

A ação decorre nos tempos atuais, em França, predominantemente no Norte agrícola, região próxima da Bélgica.

Um casal de agricultores, na casa dos cinquenta, com um filho, cerca de vinte anos, em que o chefe de família, Michel Villeneuve, já desenvolveu uma leucemia. Há inúmeros casos semelhantes na região, entre agricultores, a maioria já falecidos relativamente novos, na sequência de cancros.

Um político em ascensão, Guillaume Delpierre, familiar do agricultor, na casa dos quarenta, empenhado na criação de legislação que proíba um pesticida grandemente usado na região em causa. Coadjuvado pelo seu assessor, mais jovem, conseguiu ser nomeado relator da nova Lei - Quadro da Agricultura. Vai ter que remar contra tudo e todos, que os interesses contraditórios e instalados são mais que muitos. Nomeadamente no seu próprio partido, no poder, que não consegui ainda perceber qual é.

A empresa produtora do agroquímico, Saskia, que tudo faz para manter a autorização de produção e venda do famigerado produto químico, Lymitrol. No 1º episódio faleceu o respetivo diretor de marketing, Didier Forrest, supostamente de suicídio. A narrativa tem prosseguido na investigação através do papel desempenhado pela filha, Chloé e tudo parece indicar que as causas terão sido outras. Consequência das pesquisas que ele vinha realizando sobre a toxicidade do produto.

Uma firma de “consultores”, “Cabinet Bowman”, sobrenome do proprietário principal, Mathiew Bowman, que juntamente com o coadjutor - sócio, Christophe, são uma espécie de Mefistófeles, que não passam de criminosos de colarinho branco, que não hesitam nos meios para atingirem os fins, que assentam na manutenção da produção, venda, comercialização, utilização indiscriminada dos produtos químicos na agricultura. E na promoção de novo químico, Edenax, valendo tudo para o implantar no mercado!...

 

Uma ex- jornalista, Claire Lansel, contratada a peso de ouro, por Bowman, para fazer lobby em todos os contextos possíveis para que eles alcancem os seus objetivos. Quase vendeu a alma ao diabo, mas, como jornalista, gradualmente foi tomando consciência da perniciosidade das respetivas ações, com a ajuda de Chloé, filha de Didier. Expõem-se ambas a grande perigo, que o adjunto de Mefistófeles / Bowman descobriu que ela os anda a enganar e, depreende-se que lhe vai lavrar sentença de morte.

Aguardemos, que será hoje, no episódio desta noite, que o possível desenlace narrativo se irá concretizar.

E, como sempre, fica imensíssimo por contar…. Muitíssimo!

(Tanto no conteúdo, como na narrativa, nos personagens… Há um Andrew Percy, supostamente amigo de Didier Forrest, e seu colega na Saskia, que tem muito ainda que contar.

E Chloé, está-lhe no encalço…)

 

E, como sabe, quando conto um conto, acrescento sempre um ou mais pontos… E omito outros!

 

Apresentação de Livro na Tertúlia da APP - Olivais

“DE ALTEMIRA FIZ UM RAMO”

“Versos e Prosas da Aldeia”

 

Aldeia. Vale de Baixo. Foto Original. 2014. jpg

 

 

Associação Portuguesa de Poetas

Sede – Rua Américo de Jesus Fernandes 16 A – Olivais LISBOA

 

28 de Abril (Domingo) – 2019 – 15h

 

Conforme previsto, realizou-se ontem, dia vinte e oito, a Tertúlia de final do mês, da APP – Associação Portuguesa de Poetas, na Sede, aos Olivais – Rua Américo de Jesus Fernandes – 16 A - Lisboa.

Como habitualmente, Poetas e Poetisas presentes disseram Poesia!

 

Nesta Tertúlia, inicialmente e de forma muito gratificante para mim, a Poesia dita e até cantada, consta do livro “De Altemira fiz um ramo…”, que foi apresentado nessa tarde de “Domingo de Pascoela”, precisamente nesse enquadramento, conforme tenho feito questão: divulgar o livro e a “Poesia Tradicional”, no âmbito dos grupos poéticos em que participo, enquanto sócio.

Na sede da SCALA – Almada; no âmbito do CNAP, no Centro de Dia de S. Sebastião da Pedreira e domingo, enquadrado nas atividades da APP. O lançamento fora a 30 de Dezembro, em Aldeia da Mata, na sede da Junta de Freguesia, como só poderia ser.

 

Gostei! Gostei muito! Parabéns e muito Obrigado à Associação. Parabéns e muito Obrigado à Direção da APP, que disponibilizou a logística ao lançamento e respetiva divulgação. Parabéns e muito Obrigado aos sócios, que tiveram a amabilidade e a possibilidade de estarem presentes. Muitíssimo Obrigado aos que, simpaticamente, se aprontaram para lerem e até cantarem quadras simples, despretensiosas, mas ricas de conteúdo e filosofia de Vida! Obrigadíssimo ainda mais aos que puderam contribuir para a concretização deste Projeto, adquirindo um exemplar de “… Versos e prosas da Aldeia”.

 

No respeitante a livros de minha autoria, talvez até uma próxima oportunidade, quem sabe?!... Num futuro, porque não publicar um livro com as minhas poesias?! “O Futuro, a Deus pertence…”

Que, no Presente, irei continuando a participar nas Tertúlias… Sempre que puder!

 

E nessa tarde, também cada um de nós teve oportunidade de “Dizer Poesia”, de sua autoria ou de outros Poetas de sua estima. E também cantar. Os que têm essa maestria. Parabéns e muito Obrigado a todos e a cada um!

E Viva a APP, recentemente aniversariante. E Viva a Poesia!

Conversas de Francisco (I)

“XICO TALKS – 2ª Edição”

 

No âmbito das atividades desenvolvidas no contexto da Exposição “Time Capsule”, organização de Agrupamento de Escolas Francisco Simões - Almada, Curso Profissional de Técnico de Multimédia, e sediada na Oficina de Cultura, realizou-se dia seis, sábado, uma conferência, batizada “Xico Talks”, já numa 2ª edição.

 

Temática genérica: como é que cada conferencista a partir do presente e com base na sua formação sócio- profissional, académica, experiência e visão pessoal da realidade se projeta e especula sobre o futuro daqui a vinte e cinco anos.

Excelentes conferencistas, que num discurso marcado e impregnado do conhecimento, saber, sabedoria; determinados pela sua formação / formações, científicas, técnicas, humanas, nos apresentaram as suas visões, perspetivas sobre esse(s) hipotético(s) futuro(s) - sempre assentes no presente das suas próprias vivências e experiências, partindo do particular para o geral, numa perspetiva alargada de Conhecimento. Com discurso acessível e apelativo, em narrativas compreensíveis à maioria dos circunstantes e presentes. (Digo eu!)

 

A Exposição estruturava-se em dez “instalações”, a saber: “Time Capsule”, “Tão Perto & Longe”, “Corpus Keramikós”, “ Loja Euro”, “Ceci n’est pas une…”,  “Loki”, “Era uma vez a Entropia”, “Mateus 6:34”, “Lápis azul insciente”, “Filhos de Mandelbrot”.

Teria sido interessante que tivesse visitado a Exposição… que não vou poder descrever cada uma das instalações. A Organização produziu uma brochura A4, em português e inglês, explicativa. Talvez disponham de algum exemplar…

 

Também era proposto aos visitantes que num postal, destinado para o efeito, descrevessem as suas projeções sobre o futuro ou as suas perceções sobre o presente, de modo a serem hipoteticamente lidas no futuro, daqui a 25 anos, em 2044.

Esses postais terão sido colocados na cápsula, juntamente com os diversos registos da Exposição, em diferentes suportes comunicacionais. Não assisti a esta parte do evento no domingo, conforme era previsto, que não se realizou, pelo menos enquanto estive, até ao comensal. Ter-se-á concretizado hoje, 2ª feira, dia oito!

 

E o que é que deixei para a posteridade?!

Poesia! “O Menino / o Futuro morre na praia!”; “Meu amor do facebook” e “Selfie!”.

Lendo os poemas percebe-se o sentido dessa documentação. Daqui a 25 anos, como serão equacionadas, perspetivadas estas situações explanadas nos poemas?

A questão dos refugiados / migrantes como terá sido resolvida?! Haverá facebook? E telemóveis? E selfies?! E os blogues?! E os computadores?! Como se processará a comunicação?! E o Amor?! (… … ??!!) E as guerras terão acabado?!

 

E a propósito de Francisco… e dos refugiados… O atualmente mais importante Francisco à face da Terra, acho eu, disse há dias, que a Europa, suponho que de Leste a Oeste e os Estados Unidos da América são os principais culpados dos milhares de mortes inocentes que ocorrem "em países de guerra, como é o caso da Síria, Yemen, Afeganistão". Porque são os produtores de armas, fornecedores e distribuidores, vendedores do armamento que alimenta essas disputas, na maioria sem sentido!

O que é inteiramente verdade, ainda que não totalmente. Que vários países desse espaço geográfico, as várias potências regionais da zona, são tão igualmente responsáveis por essas guerras. Os dirigentes desses mesmos países, os “senhores da guerra”, o dinheiro que alimenta as fábricas, os negócios… as guerras, e que muitas vezes tem origens completamente insuspeitadas!

Mas é muitíssimo importante que Francisco I, Papa, diga e frise essas denúncias perante o Mundo!

Cápsula do Tempo – Oficina de Cultura – Almada

“Time Capsule”

Agrupamento de Escolas Francisco Simões

Curso Profissional de Técnico de Multimédia

 

“Uma Cápsula do Tempo é um recipiente especialmente preparado para armazenar objetos ou informações com o objetivo que eles possam ser encontrados pelas gerações futuras. Tal expressão começou a ser utilizada a partir de 1937.” In. Wikipédia.

 

Terminou ontem, domingo dia sete, a Exposição “Time Capsule” na Oficina de Cultura, em Almada. Uma das muito excelentes exposições ocorridas neste espaço cultural da Cidade. Esta, até ao momento, a Exposição mais visitada neste ano.

No encerramento, muita gente, muitos alunos e pais, professores e outras personalidades.

Encerrada a exposição, mas não a cápsula nem o respetivo enterramento, que não havia técnicos da Câmara para a realização dessas tarefas, que era domingo, à noite, fora dos respetivos horários... Essas tarefas terão ocorrido hoje, 2ª feira, não sei a que horas que, ontem, o coordenador, Professor Américo Jones, a alma – mater deste evento cultural, ainda não sabia.

 

A Exposição de Multimédia, englobada em “Março à Solta – 2019”, realizada de 22 de Março a 7 de Abril, tem a sua génese e construção a partir do Agrupamento de Escolas Francisco Simões – Curso Profissional de Técnico de Multimédia, integrante do trabalho desenvolvido por Alunos e Professores, no âmbito das atividades e funcionamento dos Cursos Profissionais e especificamente, do citado Curso.

Na finalização, entre várias personalidades presentes, vários participantes de algumas das atividades de dias anteriores da Expo. E, peculiaridade desta Escola, houve a presença do respetivo Patrono: o escultor Francisco Simões. Nem mais nem por menos! Que Escola poderá presenciar António Gedeão, Elias Garcia, Romeu Correia, Alexandre Castanheira, Cristóvão Falcão, Mouzinho da Silveira, Pedro Nunes; São Lourenço (?!)… Sem falarmos em José Régio, este, perfazendo cinquenta anos de falecido, e premente de ser lembrado, evocado, comemorado!

Pois, neste encerramento, também lugar à degustação de bolos e acepipes, confecionados por alunos e pais e oferecidos aos visitantes. Serviço esmerado dos Alunos do Curso Profissional de Turismo e seus Professores.

(Todos, evidentemente trabalhando fora do seu horário!

E surge-me uma entre várias questões:

- Como traduzem os professores todas estas atividades, funcionalidades, especificidades, na avaliação dos respetivos alunos?)

 

(E, a propósito de personalidades, personagens… também a peculiar presença de uma senhora, frequente em eventos culturais da Cidade, que logo se instalou bem visível, junto ao palco e à cápsula e que tanto incomoda o sentido do olfato de qualquer outro visitante, seja nestas ocorrências, seja no metro…

Em Almada, circulam vários personagens assim, meio desequilibrados, “encerrados na sua cápsula do tempo”, que precisam de uma ajuda urgente das Entidades competentes para estas situações. Que não são assim tantos e a Cidade não é assim tão grande… Um alerta de ajuda para estas Pessoas!)

SCALA – Atividades 2º Trimestre de 2019

Foto original 2015. Mar. jpg

 

S C A L A – Sociedade Cultural de Artes e Letras de Almada

Sede: Rua Conde de Ferreira (ex- Delegação Escolar), Almada.

 

Atividades Culturais - 2º Trimestre 2019

 

ABRIL

 

1 - A exposição de pintura “Abstrações”, autoria de Mário Nery, continua patente ao público até ao dia 12 de abril, na Galeria e Sede da SCALA.

6 - Apresentação do livro “Entre o Céu e a Natureza”, de Maria Gertrudes Novais, às 16 horas, no auditório da Junta de Freguesia da Trafaria, Rua Sacadura Cabral, Trafaria.

13 - Inauguração da Exposição “Liberdade”, às 16 horas, na galeria e sede da SCALA. A exposição de pintura estará patente ao público até ao dia 26 de abril.

27 - Inauguração da Exposição de pintura, autoria de Arminda Vieira, às 16 horas, na Galeria e Sede da SCALA. A exposição estará patente ao público até 10 de maio.

27 - “Poesia à Solta”, na SCALA, recordando Abril . Encontro de Poetas e amigos da poesia, que partilham entre si o gosto pelo universo da poesia, às 16 horas, na Sede.

 

MAIO

 

4 - Convívio musical com Gabriel Sanches, na Sede da SCALA, às 16 horas. Caro associado venha ouvir música e conviver.

11 - Os Poetas da SCALA e as Efabuladeiras de Almada Mundo vão estar, em parceria, na Associação da Quinta do Baubau, na Sobreda de Caparica, às 16 horas.

18 - Comemoração do Dia mundial da Poesia. Venha ouvir e dizer poesia com os poetas da SCALA, a partir das 16 horas, na Sede.

19 - Concerto “Em Cantos e Poesia”, no Teatro Municipal Joaquim Benite. Concerto de apoio à SCALA, com música de Francisco Naia e poemas de Maria Gertrudes Novais. Poesia dita pelos Poetas da SCALA e pelo nosso convidado António Matos. Espetáculo com início às 16 horas.

25  -  Inauguração da Exposição de pintura com o título “Sem fronteiras”, de António Barreira, às 16 horas, na Galeria e Sede da SCALA. A exposição estará patente ao público até 10 de maio.

Poesia à solta” na Sede da SCALA, às 17,30 horas. Espaço de partilha entre os poetas e amigos da poesia. Convite à declamação.

 

JUNHO

 

Concurso de Quadras Populares de Almada

Uma parceria entre a SCALA e a CMA.

 

3 - Festa Almada com Vida. A SCALA faz parte da organização desta festa em parceria com a Associação de Professores e outras associações. A SCALA participa neste evento, com poesia, no Largo Fernão Mendes Pinto, a partir das 15 horas.

6 - Festa Almada com Vida. Os Poetas da SCALA vão estar na Praça Capitães de Abril, em Almada, às 16 horas, onde vão declamar a sua poesia.

7 - Festa Almada com Vida. Participação do Grupo de Poetas da SCALA no Jardim da Piedade, a partir das 15 horas.

 8 - Inauguração da Exposição “Teatro é Teatro” de Leonor Vieira, às 16 horas, na Galeria e sede da SCALA. A exposição vai estar patente ao público até ao dia 21 de junho.

22 - Inauguração da Exposição “Almada em Festa” dos sócios da SCALA, às 16 horas, na Galeria e Sede.

29 – “Poesia à Solta” na SCALA, às 16 horas, na Sede e Música com Gabriel Sanches.

 

Conan Osíris – Eurovisão: Sim ou Não?

Uma crónica ou uma sugestão?

E uma pitada de ironia!

 

Circulam pedidos para que Conan Osíris não vá representar Portugal na Eurovisão, em Israel.

Deverá o cantor aceder a esses pedidos? Sim? Não?

 

Penso que, primordialmente, essa decisão deverá pertencer ao próprio, condicionado obviamente pelos acordos ou compromissos que tenha com as instituições que representa e a que está conectado. E obviamente também ao bailarino com quem contracena.

Do meu ponto de vista, acho que deverá ir. Mas tomando uma atitude adequada face às situações invocadas, mas in loco. Terá muito mais impacto global, do que se desistir.

E como?!

 

De uma forma relativamente simples.

Usando apenas os recursos disponíveis, nem precisa de verbalizar sobre o assunto. (Aliás, o artista não é de grandes falas, a canção também tem poucas palavras e quem percebe o português?).

Bastará a coreografia, a encenação, as roupas a utilizar e o recurso a quatro cores fundamentais, duas das quais usaram no vestuário em Portugal. Depois é jogar com a combinação, a improvisação e o inesperado. Proceder como fazem os futebolistas.

E a mensagem visual passará, desde que a articulação seja bem feita, e com dificuldade de lhe pegarem por “intervir politicamente” e o desclassificarem.

Mas a mensagem passará. Para bom entendedor… uma boa imagem, bem estruturada e organizada, bastará.

Como?!

Bem, essa parte terá que ficar em segredo e só os próprios envolvidos dela poderão ter conhecimento.

Mas que devem agir, do modo que melhor acharem, no sentido de reprovarem o regime, devem!

 

(P. S. – Se não entenderem o que quero transmitir, perguntem-me, que explicarei melhor.)

 

*******

 

E o capricho da Dona Mandona?!

Pois!... Cá por mim, não só poderia levar o cavalo, ademais de puro-sangue português, mas também um elefante, o que tocava a sineta no Jardim Zoológico, que não sei se ainda é vivo ou não. Até poderia levar uma manada de vacas barrosãs a calcorrearem as ruas íngremes de Sintra!

A Dona Mandona, era só mandar! Pedido feito, pedido aceite. Pedido tal, seria uma ordem!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D