Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Uma "carta" sem destinatários?!

Esclarecimento a Crónica “Falta de Serviços Essenciais…”

e

Crónica de Descontentamento (s) VII… E desabafos...

Marco de correio .apbp. artistas pintores boca pé. jpg

 

Na crónica que escrevi, em 09/03/19, referi alguns disfuncionamentos referentes aos CTT.

Agora, devo constatar que o postal enviado a 07/03 chegou ao seu destino a 11/03, demorando quatro dias. Situação regular, que corresponde a dois dias úteis, que de permeio houve fim de semana.

Também constatei, no dia 12/03, que a cabine telefónica, nos CTT da Capital de Distrito, já funciona. Segundo me foi informado, há cerca de um mês.

Ótimo. Parabéns e que assim continuem. A funcionar como deve ser!

 

O postal ilustrativo deste post é a digitalização de um dos que a “APBP – Artistas Pintores com a Boca e o Pé” habitualmente edita e que, há vários anos, vimos adquirindo.

É também uma forma de ajudarmos estes Artistas, divulgando a sua Arte!

E aproveito para enviar mais uma “carta” com os meus descontentamentos…

 

No referente a chuva, ela continua sem aparecer… Vislumbrou-se no início do mês, mas rapidamente se eclipsou.

 

Em contrapartida, começaram os Incêndios.

 

Isto dito assim, tão a seco, até parece que são uma fatalidade natural, já esperada…! Que não são! Por mais que nos queiram impingir mediaticamente essa anomalia.

Falta muito, sempre muito trabalho de prevenção. Por mais que se faça, dificilmente estará completo a tempo e horas.

Basta olharmos a beira das estradas, as próprias autoestradas, dentro dos próprios limites destas… e dentro das próprias cidades.

 

Em Almada, friso, está um designado “Koi Park”, frente ao Fórum, rente à A2, na saída da “Ponte 25 Abril”, que é um matagal há anos, sem limpeza. É imperioso e urgente que seja feita, ademais numa zona com tanto tráfego e congestionada nos acessos.

 

E porque é que os meios de comunicação dão tanta cobertura mediática aos fogos?! Tanto espetáculo desnecessário. Porque não são objetivos, concisos, informativos e formativos?!

 

E para quando a implantação de unidades de transformação dos milhares de toneladas de inertes produzidos com as limpezas, em vez de as termos que queimar?!

 

E ainda esta situação do tempo meteorológico

Em Portugal, estamos em seca severa… Em Moçambique, vemos toda aquela desgraça… E, mais uma vez, a exploração da miséria alheia, do sofrimento atroz, trazido à ribalta comunicacional. Uma certa contensão, precisava-se!

Estas ocorrências regulares pelo mundo fora, quando acontecidas em países pobres, subdesenvolvidos, têm repercussões muito mais catastróficas.

 

E tanto investimento feito em guerras totalmente absurdas e desnecessárias! Que os "Donos do Mundo” fomentam pela ganância. Tanto que podiam fazer pelo Bem da Humanidade, dotando os países pobres das infraestruturas basilares. E esta responsabilidade é prioritária dos respetivos dirigentes desses países! Realce-se!

Falta de Serviços Essenciais…

… Em Entidades que já foram Fundamentais!

Crónica de Descontentamento (s) VI

 

Os títulos, levados à letra, reportar-nos-iam para ene assuntos, n serviços e atividades que nos faltam, nos mais diversos contextos e enquadramentos.

 

Até podia ser sobre a chuva… Que “estragou” os Carnavais!

Mas então a chuva não faz falta?!

Não! Não?! Não vou falar da chuva. Que faz imensa falta. Ela que venha!

 

Hoje vou falar de Correios; os CTT, que já foram das Entidades que melhor terão servido as Comunidades ao longo de décadas, neste País, nomeadamente no Interior. Quando não existiam nenhumas das modernidades que hoje temos, telemóveis, internet, computadores, estas e outras funcionalidades existentes que, ainda há escassos anos, eram pura ficção.

Não falo nas dezenas ou centenas de lojas que fecharam por todo o país, especialmente no Interior, onde mais eram necessárias. Têm valido as Autarquias que se organizaram para servir as populações, institucionalizando esses serviços nas respetivas Sedes…

 

Falo de serviços elementares que faltam nas ainda existentes Lojas de CTT.

Concebe-se que numa Loja de CTT não haja uma máquina para comprar selos de correio, automaticamente, sem ter que esperar nas filas enormes?! (E, a este propósito, as filas são sinal de que os serviços são necessários.) Já houve! Mas foi retirada. E porquê? Bem sei que hoje quase ninguém escreve cartas…

(!!!…?)

Ou concebe-se que uma carta enviada de uma Aldeia do Interior, para chegar ao Litoral Suburbano de um Concelho da Margem Sul, demore dez dias até ao destinatário?! Nem no tempo da mala posta!

Ou que cartas vão parar regularmente aos vizinhos, até noutros prédios, e algumas até com documentos importantes?!

Ou que num posto de CTT, numa Capital de Província, ademais no Interior, a cabine telefónica não funcione há mais de um ano?!

 

Mas, agora os CTT até têm um Banco! E é verdade! E que promete… que promete…

Mas os bancos… nem assado, nem assim, nem mesmo os de jardim!

 

E são só esses os seus descontentamentos?!

 

Se os fosse a desfiar todos, eram um rosário… E eu já não vou nem em terços… Não falo das Agências da Caixa encerradas, na falta de Centros de Saúde… Não falo dos disfuncionamentos da Caixa… Não falo na falta de profissionais de Saúde nalguns Centros…

 

(E estes escritos surgiram-me na sequência de ter precisado de enviar um simples postal ilustrado… no dia 7! E quem ainda envia postais ou cartas?! Só mesmo os cotas dos cotas! E ao pretender um simples selo de correio, corri as freguesias e só havia numa loja particular… E os CTTs não são também particulares?)

 

E, dir-me-á… Preocupa-se você com estas ninharias quando há Pessoas, digo, Pessoas que vivem e dormem na rua, ao relento!...

Março, Marçagão…

Crónica num dia que balança entre chuva… e arco-da-velha!

Benfica… Festival… SCALA – Almada!

 

Foto Original DAPL 2015. jpg

 

Esta crónica está para sair há dias. Quer reportar-se mais propriamente ao dia 2 de Março, sábado. Mas só saiu hoje, dia seis, “Quarta Feira de Cinzas”!

Ainda se lembra de algumas ocorrências marcantes nesse dia dois, em termos culturais?!

 

(Mas antes quero assinalar que ontem, dia cinco, começou a chover. Neste Outono – Inverno, mais uma vez mal choveu. O que já acontece há quatro anos consecutivos. No ano passado julgo que também começou a chover no dia cinco. Depois em Março, Abril e Maio, choveu pelos três anos anteriores de seca! E este ano?! Esperemos que também chova, que a água faz imensa falta… E, hoje, o dia tem sido como o ditado… chuva e sol!)

 

Mas voltemos ao dia dois.

Bem!... O que aconteceu?!

 

O Benfica foi ganhar ao Porto. Ótimo! O campeonato ganha outra dimensão.

Mas já reparou que os campeonatos, há anos, que são só praticamente Benfica e Porto, Porto e Benfica?!... O Sporting eclipsou-se… E falta que faz um Sporting à altura. Sem clubismos ou fanatismos, facciosismos, de qualquer parte.

Tal como em tudo o resto só Lisboa e Porto é que contam! Uma bicefalia anormal e prejudicial ao País. Alguns outros clubes periodicamente fazem fogachos de alguns meses, algumas semanas, mas depressa se extinguem. (Braga, Guimarães, Boavista…Tondela!)

E já reparou na origem geográfica dos clubes da Primeira Liga? Noroeste e Litoral, a grande maioria.(Porto, Braga e Aveiro = 50%; Lisboa e Setúbal = 25%. 3 clubes das Ilhas, 1 do Algarve; 1 de Viseu, outro de Vila Real!!!!!)

Não é que interesse haver clubes só por haver. Ademais ele há por aí tanta coisa por debaixo dos relvados…. Mas interessam as múltiplas relações entre vários aspetos identitários deste País: Sócio culturais, económicos, demográficos, de desenvolvimento, as tão grandes assimetrias Litoral – Interior. (…) Em que o Futebol, para o bem e para o mal, anda envolvido ou de algum modo espelha exageradamente. (…)

 

Outro acontecimento.

Houve Festival da Canção. Não por acaso, em Portimão!

Houve bonitas canções e interpretações. Ganhou quem se previa.

Mas de canção, canção, não ouvi nada. Uma performance inusitada, uns acessórios faciais e manuais, uma dança acrobática, umas vestimentas clownescas… Isto digo eu, que sou duro de ouvido. Mas houve quase unanimidade dos júris… Festival da Canção?!

 

Mas o que a mim me interessa por demais reportar é a Inauguração da 25ª Exposição Anual da SCALA – Almada, na Oficina da Cultura. A “Festa das Artes da SCALA”!

Irá permanecer de 2 a 17 de Março. Imperdível!

Se ainda não foi visitar, não deixe de o fazer!

Excelentes trabalhos em diferentes vertentes: Artes Decorativas, Escultura, Fotografia, Pintura…

Parabéns à SCALA! Aos Organizadores! À Oficina da Cultura! A todos os Participantes! A todos os que trabalharam para dar corpo à Exposição!

*******

(Fotografia original DAPL - 2015)

Séries: Final de temporada e sinal de continuidade…

Séries Europeias RTP2 - Séries Francesas

Agência Clandestina- O Barão Negro

 

Caro/a Leitor/a sabe que neste blogue se apreciam especialmente as séries europeias que vão passando na RTP2, pelo menos desde finais de 2014. Durante alguns tempos fui sempre escrevendo alguns posts sobre as mesmas, especialmente a partir de Borgen.

 

No ano passado, 2018, pouco escrevi. Este ano recomecei a escrever sobre o Barão Negro, ainda que não tenha concluído a análise sobre os últimos episódios apesar de ter visto o final.

 

Terminada esta série recomeçaram com a Agência Clandestina. (Péssima tradução do título para português…) Uma 4ª Temporada. Também vi, mas não escrevi nada sobre a mesma.

 

(Agora andam com uma sueca, “O Restaurante”, numa 2ª temporada. Vi a primeira e alguns episódios desta segunda. Também interessante, embora não tanto como as duas anteriores. Mas também aborda assuntos muito relevantes, mais de caráter social, a partir da cidade de Estocolmo, nos anos após a 2ª guerra, centrados numa família alargada, gestora de um restaurante muito famoso… Segue-se com muito agrado!)

 

Mas não é disso que quero falar.

Pretendo abordar a conjetura sobre a eventual continuidade dos seriados, com base nos finais de episódio e temporada e a hipotética continuidade das séries noutra sequência. Reporto-me às duas supra mencionadas. 

 

Philippe Rickwaert. in. net.jpg

 

Barão Negro

No final do último episódio, Philippe, a modos que se reconciliou com a filha Salomé, que foi encontrar nas dunas da praia de Dunquerque, a desenhar… E qual o desenho que a filha mostrou ao pai?!

Precisamente o respetivo rosto desenhado e com a legenda: Rickwaert a Presidente!

Sinal de que vai ou não haver nova temporada?! Ou que pelo menos deixam em aberto essa possibilidade?! O que acha Caro/a Leitor/a?! (…   …)

 

gullaume debailly.in. net. jpg

 

 

Agência Clandestina

Guillaume Debailly, Paul Lefebvre, Malotru, o “Agente Lendário”, que lhe chamo eu, ou lá o nome ou pseudónimo, ou anexim, estes ou outros que ele tenha usado, supostamente estaria na Ucrânia. Supostamente terá sido “condenado” a morrer, como forma de se verem livre dele, pelo potencial explosivo de todos os conhecimentos que ele foi adquirindo e como pagamento pela sua “traição”… Um ucraniano deu-lhe uma bebida, um alucinogénio, que lhe permitiria sonhar enquanto fosse morrer e deste modo levar a execução da sentença de forma mais benigna.

Vimo-lo a perder a consciência, supostamente imaginando-se em Paris num “escritório – prateleira” da Agência, o seu desejo; também na Cidade Luz, num bistrot, com a filha, Prune Debailly, aguardando a namorada, Nádia El Masour, a chegada desta, que cumprimentou e conversou amigavelmente com a “enteada”, muito animadas e ele, observando, sem participar na ação. Apenas como observador…

Na Ucrânia também viramos o soldado lançar um líquido à volta de Malotru, líquido que incendiou. Gerou-se fogo. Malotru em fundo, meio deitado, meio adormecido, naquele meio sonho… Não vimos o fogo chegar-se-lhe…

Morreu? Não morreu?! Haveremos de saber?! Talvez só numa eventual quinta temporada?!

O que acha Caro/a Leitor/a?!

(Este post surgiu-me, na sequência de comentário que foi feito num post sobre a série, friso!)

Tertúlia do CNAP de Fevereiro 2019

Apresentação "De altemira...

 

Valeu a pena?!

 

“Vale sempre a pena…”

 

Foto Original DAPL. Aldeia. jpg

 

Divulgar a Poesia é um dos propósitos destas apresentações. Divulgar a Poesia Tradicional. Divulgar a nossa Aldeia. Divulgar o nosso Alentejo! Divulgar o trabalho direto de Pessoas que participaram neste Projeto… (Sim! Porque de um Projeto se trata, a produção deste modesto livro: “De Altemira…”, nas suas diversas vertentes, ainda que não tivesse sido elaborado um plano formal, escrito. Que mentalmente ele existiu!)

Sublinhar a importância das Pessoas que nele participaram diretamente e das que nele estão incluídas indiretamente… Que estas “Cantigas” vieram de geração em geração, pelo menos desde o século dezanove, deduzo eu…

 

Nesta apresentação, de algum modo semelhante às anteriores, houve relevância muito especial dada às “Cantigas de Dona Maria Águeda”. Na apresentação na SCALA, as “Cantigas da Prima Teresa” despertaram especial atenção. Tem dependido da apreciação e do gosto que os “Dizedores de Poesia” presentes nas sessões revelam. “Alentejo, …”, “Balada da Aldeia”, “Festa da Aldeia”, “Namoro”…

Mas também outras “Cantigas”, “Cantigas de Oito Pontos”: “O sol é que domina…”; “As Maias”. “Uma cantiga brejeira” desperta sempre atenção…

De um modo geral foram abordadas quadras das várias Pessoas participantes.

 

Também foi estabelecida a inferência direta das cantigas para alguns dos seus elementos representativos, nomeadamente as plantas: a altemira, a alfazema, os lírios: roxo e branco… como forma de explicar a interligação direta dos versos e sua mensagem com a vida campestre.

E também houve o jogo da escolha aleatória de versos, a serem ditos, associada a uns bombons…

 

E quem “Disse…” e também disse “Presente!”

Drº Santos Silva, que na qualidade de Presidente da Associação, dirigiu a apresentação. E “Disse Poesia”, várias cantigas do livro. E não se coibiu de “Dizer Poesia” de Sophia de Mello Breyner, neste mesmo contexto. Obrigado!

D. Olívia Diniz Sampaio, Presidente do CNAP, também na direção da mesa. Luís Ferreira; Carlos Pinto Ribeiro, D. Fernanda de Carvalho. A todos, muito obrigado, por engrandecerem os versos “De Altemira…” com a vossa dicção!

João Carrajola, Rolando Raimundo, D. Ana Alves, compareceram, mas acho que não disseram ou leram Poesia. Mas Obrigado também!

 

Um Obrigado muito especial aos que adquiriram um livro. Sete euros é um preço acessível. E o “livrinho” merece. Tem uma qualidade muito boa. Desde logo, tecnicamente, está muito bem produzido. Muito mesmo! Tem um excelente conteúdo. Estas cantigas, quadras, rimas, versos, composições poéticas, compõem um Património Imaterial que já não faz parte do nosso quotidiano digital, mas seria uma pena que não fossem registadas, grafadas em livro. Já estão! Aprecie-as!

Neste blogue, também algumas delas figuram.

 Sobre a parte do trabalho que é da minha lavra não formulo juízos de valor.

A capa e a contracapa também estão muitíssimo bem conseguidas. A cor é por demais sugestiva. Reporta-nos para o Sol, para a Terra, para as Plantas, nomeadamente as Flores… As fotos são bem elucidativas.

O título “De Altemira…”, remete-nos para um regionalismo da minha Aldeia, “Altemira”, uma variedade de artemísia. Propositadamente!

 

E fico-me por aqui. E o meu renovado Obrigado a todos os participantes e colaborantes neste Projeto.

Sim! Qualquer projeto para ser concretizado precisa de financiamento.

E como eu gostaria de ter uma Entidade que me financiasse outros projetos neste âmbito, que tenho em mente…

 

Gostaria de adquirir um livro?

 

Poderá adquirir na Sede da Junta de Freguesia de Aldeia da Mata.

Na Livraria / Papelaria do Mosteiro de Flor da Rosa (Pousada).

Na SCALASociedade Cultural de Artes e Letras de Almada – (Almada Velha – Rua Conde Ferreira, Antiga Delegação Escolar).

 

E… Até uma próxima apresentação!

 

Festa das Artes da SCALA - Almada

OFICINA da CULTURA - ALMADA

25ª Exposição Anual

SCALA

 

Convite Festa Artes SCALA 2019. Cortesia Organização.png

Vou participar com o trabalho seguinte, de "Poesia Visual", que intitulei "Poema Psicadélico", para efeitos de concurso "Nau dos Sonhos" - 2018, promovido por APP - Associação Portuguesa de Poetas, que venceu.

"Poema Psicadélico" - 1986 A. Mata

Este quadro figurou pela primeira vez numa Exposição Coletiva, na Casa do Alentejo, em 2018. Exposição promovida pelo CNAP - Círculo Nacional D'Arte e Poesia.

E também englobou a Exposição Individual, organizada pela APP -Associação Portuguesa de Poetas, na respetiva Sede, aos Olivais, Lisboa, também no ano passado, com base precisamente nos vários trabalhos que elaborei na 2ª década de oitenta, inspirados na corrente estética designada por "Poesia Visual".

Exposição CNAP - Campo de Ourique - Fevereiro  Março - 2019

QUADRO Nº2. Cortesia Rolando Raimundo.2019 jpg

Teve lugar no “Espaço Cultural Cinema Europa”, em Lisboa, no dia 20 de Fevereiro, a inauguração de uma Exposição Coletiva de Pintura de 12 Artistas, sócios do CNAP - Círculo Nacional D´Arte e Poesia.

Este evento contou com a presença do Presidente da Junta de Freguesia de Campo de Ourique, Dr. Pedro Cegonho, que enalteceu as três décadas de dedicação aos Pintores e Poetas menos conhecidos, os quais desde modo vão revelando o seu talento, através deste Círculo de Amigos.

O mesmo Presidente convidou também a Presidente do CNAP, D. Maria Olívia Diniz Sampaio, a proferir algumas palavras, que, na sua habitual simpatia e simplicidade, agradeceu à Instituição supra citada todo o apoio e carinho dispensados  a esta Causa. Foi oferecida ao Presidente a última Antologia do CNAP, que vai já na XIII edição.

Esta  Exposição estará à disposição de todos os interessados no “Espaço Cultural Cinema Europa” – Campo de Ourique, Lisboa, até final de Março.

QUADRO Nº 4. Cortesia Rolando Raimundo. 2019. jpg

(Notas Finais:

Este texto foi elaborado a partir da informação enviada por Rolando Raimundo, via mail, respeitando a sua essência.

As fotografias são também da sua Autoria.

Agradecemos a amabilidade e prestabilidade. Parabéns!

Parabéns igualmente aos Artistas e ao Círculo e sua Presidente.

Parabéns e também Obrigado ao Presidente da Junta de Freguesia de Campo de Ourique.

Tive pena de não ter podido comparecer. Fica para outra oportunidade!)

QUADRO Nº 5. Cortesia Rolando Raimundo. 2019. jpg

 

Visite, se Faz favor!

As Exposições do Círculo englobam sempre excelentes trabalhos. Esta não é exceção, conforme pode confirmar pelos quadros aqui apresentados.

QUADRO Nº 7. Cortesia Rolando Raimundo. 2019. jpg

(E aqui está a lista dos Artistas presentes:

Adelaide Freitas, Catarina Semedo, Elmanu, Fernanda de Carvalho, Josefina Almeida, Luís Ferreira, Margarida Dias, Maria Rita Parada, Marisa Castro, Olímpia Campos, Teresa Filipe, Vitor Hugo.)

 

Convinha a especificação da Autoria dos quadros, bem como da sua designação. Pois convinha...

Alguns consigo visualizar a assinatura e deduzir a autoria, pelo conhecimento do estilo artístico...

 

Ajude-me o caro/a Leitor/a! S: F. F.)

Apresentação "De altemira..." no âmbito da Tertúlia do CNAP

 

“DE ALTEMIRA FIZ UM RAMO”

“Versos e Prosas da Aldeia”

Foto Original DAPL 2016.jpg

 

Apresentação do Livro no âmbito da

Tertúlia do CNAP – Círculo Nacional D’Arte e Poesia

 

Na Associação de Auxílio Social da Freguesia de S. Sebastião da Pedreira

(vulgarmente designada Centro de Dia de S. Sebastião da Pedreira)

(R. Latino Coelho - 95 - LISBOA) 

26 de Fevereiro (3ª Feira) – 2019 – 16h 30’

 

(O prédio é o primeiro de quem vem do "El Corte Inglês", portanto do lado Oeste. Fica à direita da Rua, logo no início, numa interessante vivenda onde funciona um Centro de Dia que acolhe residentes da zona.

Vivenda num espaço crucial, certamente sujeita a forte pressão imobiliária. Naquela zona...

Nem a propósito, a vivenda que ficava na Avenida de Berna, na esquina do lado Oeste,  frente à Gulbenkian  e estátua do seu fundador, onde funcionava um restaurante, que se chamava Gôndola, já foi derrubada.

A pressão sobre a Praça de Espanha continua. Ainda hão-de ficar só lindos prédios, como os do Santader. Nem a Fundação lhes vale. Acautele-se o edifício da Embaixada de Espanha!)

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D