Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Vinte e Cinco de Abril e Poesia!

Liberdade! Liberdade de Expressão! Liberdade de Reunião!

 

Ultimamente, tenho escrito pouco e publicado ainda menos.

Outros projetos. Outras atividades…

 

No blogue, todavia, a Poesia tem estado bem presente. Neste ano de 2018, dos posts publicados, a maioria foram dedicados, direta ou indiretamente, a esta Arte.

 

Neste Dia tão especial, hoje - 25 de Abril, voltamos à Poesia.

Nesta data, que entre outros Valores, vincou o da Liberdade e, neste, frisou a Liberdade de Expressão, que maneira mais nobre de a evocar, senão através da Poesia?!

Não diretamente, mas através da divulgação de acontecimentos poéticos, dignificantes da Poesia, para este próximo fim-de-semana. (Outro valor associado a Abril – a Liberdade de Reunião!)

 

*******

 

Em Portalegre, Cidade… “Momentos de Poesia” continua a sua “Odisseia” na divulgação e promoção da Poesia! Desta vez, homenageando uma Poetisa: Maria José Miranda.

Cartaz de Organização "Momentos de Poesia". 2018. jpg

 

Uma maneira extraordinariamente relevante: lembrar outros Poetas, outras Poetisas. E esta tem sido uma das facetas mais meritórias de “Momentos…” Dar a conhecer a Poesia e os seus Autores!

 

*******

 

Também em Almada, na SCALA, igualmente sábado, 28, pelas 17 horas haverá uma sessão de “Poesia à Solta”, como é habitual no último sábado de cada mês.

Antecedida, às 16 horas, de inauguração de exposição de fotografia de Clara Mestre, também uma excelente Poetisa. E “Dizedora” de Poesia! E Cantora!

 

*******

Casa Cerca 2017. original DAPL.jpg

 

E na CASA DA CERCA, também em Almada, e também a 28, pelas 15 horas, haverá visita guiada à exposição, da consagrada Poetisa Ana Haterly, “O Prodígio da Experiência”, orientada pelo Curador: Fernando Aguiar.

(Poesia, no contexto da designada “Poesia Visual”!)

 

*******

 

Ah! E no dia 29, 15 horas, domingo, na sua Sede, aos Olivais, Lisboa, a APP – Associação Portuguesa de Poetas, promove igualmente a sua habitual Tertúlia APP, de final do mês.

Será proferida uma pequena palestra por Mabel Cavalcanti, sobre o tema “Literatura de Cordel – uma viagem poética pela cultura popular do Brasil”. Acompanhamento ao violão, por Carminha Pontes.

 

*******

 

E veja, e reflita, e avalie, você, Caro/a Leitor/a, se a POESIA, permite ou não lembrar e comemorar esta Data, e se é ou não, de igual modo, beneficiária da Liberdade que a ocorrência desse Dia nos permitiu?!

 

*******

(Imagem cartaz: Organização de "Momentos de Poesia".

Fotografia "Casa da Cerca": Original DAPL - 2017.)

"... E Cai a Noite"!

Poesia de Rolando Amado Raimundo

 

Continuamos na "onda" da Poesia.

Hoje, divulgamos dois bonitos poemas do confrade supracitado: 

"Na cidade e cai a noite" e "Canção que transcende". Ambos de 2012.

 

Ginjal 2017. Original DAPL. jpg

 

       *******

 

«NA CIDADE E CAI A NOITE»

 

«A penumbra trouxe agora acalmia aparente

Já tudo se vestiu para a noite, como as aves

As portas trancadas, os alarmes precavidos

Lá ao longe

O grito de ambulância fere lancinante

Aproxima-se. Homem, mulher?

Quem lá irá, que lhe aconteceu

Acidente, algum suicídio, mais um?

Junto à linha férrea, ratinhos banqueteiam-se

Sem pejo nem temor

Nos caixotes da avenida.

Velhas espreitam atrás dos vidros

Pela vez derradeira

Janelas com luzes dentro

Onde se faz sexo

E talvez amor

Há promessas de não cumprir

Ou maquinações tenebrosas

Gente feliz, gente contente

Gente a nascer e gente a morrer

Menos carros indiferentes

Tudo a girar como a bola mundo.

 

Há insónias, rezas

Pensamentos impuros

Intenções fraternais

E pensamentos lúbricos

A lassidão é companhia

Como mulher que seduz

Lânguida, impulsiva, quase empurra

Para os braços de Morfeu

É hora dos bichos nocturnos e sua rotina

Dos olhos dos gatos reflectidos

Das ratazanas e dos ladrões

Tudo atento, em seu lugar

Perfeito, como em êxtase.

 

Nalguns cantos espetam-se seringas de raiva e de alívio

E de viagens, nem sempre de retorno

Há restolhar do oculto e de segredos

De árvores, de pedras, de espíritos

De dentro das casas

De dentro da alma das casas

 

Agarrados um casal, tropeça

De álcool ou algo mais.

 

Beijam-se, há desejos carnais

Iluminados pelo luar

Sedentos de prazer

Felizes de juventude, que o tempo foge

Com todos os sonhos possíveis.

 

Querem viver e embriagar-se disso e agora.

- Depressa, antes que amanheça.»

 

       *******

 

«CANÇÃO QUE TRANSCENDE»

 

«De súbito, como janela que se abre

A deixar entrar suave, suavemente

A fresca brisa que toca a reviver

Uma cantora vivencia e é sublime

Nessa voz que penetra fundo

Vai ao limbo do que sabemos nosso

Adormecido sono existencial.

 

E consola e abraça, como uma mãe

A cantar esses instantes

Esses sopros de vida remexidos

A despertar lembranças, sensações

 

Numa canção, todo esse mundo

Que revisitamos a pulsar

Voz de surpresa, canção que transcende

Voz tão suave, do coração

Tão perto e tão amiga

Voz que podíamos beijar…de gratidão.»

 

       *******

(Fotografia original DAPL - 2017: Cais do Ginjal, ao entardecer.)

 

“Nau dos Sonhos - Prémio Ivone Vairinho” - 2018

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA de POETAS – APP

2018

 

No decurso da Sessão Solene comemorativa do 33.º Aniversário da APP, realizada no dia 3 de Abril de 2018, ocorreu a proclamação dos trabalhos vencedores do concurso de “Poemas Ilustrados” e de “Poemas com Ilustração” -  “NAU DOS SONHOS - PRÉMIO IVONE VAIRINHO."

 

Na “Modalidade A – Poemas Ilustrados” o vencedor foi o “POEMA PSICADÉLICO”, de minha autoria.

 

Na “Modalidade B – Poemas com Ilustração”, o prémio foi entregue ex-aequo aos trabalhos “DO OUTRO LADO DOS SONHOS”, do associado CARLOS ALMEIDA, e ao trabalho “MARES”, do associado CASSIANO SANTOS CABRAL.

 

Anexo uma foto do trabalho que intitulei como “Poema Psicadélico”, para efeitos do concurso.

Este trabalho poético, integrado no conceito estético de “Poesia Visual”, é dos finais da década de oitenta, do século XX.

Faz parte de um conjunto de trabalhos que elaborei nessa época, enquadrados num contexto experimental de Poesia, integrada no âmbito da estética da corrente de escrita referida.

 

Tem na sua base um poema de 1979, que intitulei, à data em que foi escrito, como “Fuga… à Solidão!”

 

*******

 

FUGA… à SOLIDÃO!

 

Trombetas projectam raios laser

numa pintura estereofónica.

Então… um aroma poliédrico

enche o presente…

… De esferas, prismas, cubos;

Violetas, rosas, carmins;

Maresias, manhãs, névoas…

Em tudo esvoaça o Nada.

 

Numa memória espacial,

me recordo de lugares que não vivi,

Do tempo que não percorri.

 

E neste caminho me provo,

cheirando cinzento – escuro.

Escuto. E saibo a limão.

Olho-me, numa sinfonia aromática.

Sinto o colorido Rock. E percebo!

Era… ontem, ali…

 

Hoje, sinto amargos de boca,

náuseas de prazer.

 

E estou só.

Só, entre quatro paredes nuas.

E brancas.

 

Estou triste!

 

*******

 

29695514_1529367200495876_8817464351471064347_n.jp

 

 Anexo também uma imagem dos três trabalhos premiados, a partir de fotografia das fotocópias afixadas em placard, na Sede da Associação.

 

2018 original DAPL. jpg

 (Original DAPL 2018.)

*******

Atrevo-me a terminar este post com a frase introdutória à Exposição O Prodígio da Experiência”: “…um olhar abrangente sobre a obra visual de Ana Hatherly…”, na Galeria Municipal de ArteAlmada:

 

 «A pintura é poesia muda, a poesia imagem que fala.»,

de Simónides de Keos (Séc. VI a. C.)

 

APP - Associação Portuguesa de Poetas: 33º Aniversário

Parabéns!

Parabéns à Associação Portuguesa de Poetas!

33.º Aniversário 2018 - Original APP.jpg

Decorreu hoje, dia três de Abril, a festa do trigésimo terceiro aniversário da Associação Portuguesa de Poetas, na respetiva sede, aos Olivais, Rua Américo de Jesus Fernandes - Lisboa.

Uma festa bem bonita, abrilhantada por Poesia, Música, Canto... Parabéns a todos os participantes, a todos os poetas e poetisas, a todos os cantores e cantoras.

Parabéns e Muito Obrigado à Direção da Associação, que muito se esforçou por organizar e proporcionar-nos a possibilidade de uma tarde cultural tão criativa em diversificadas vertentes.

Felicitações e Votos de muitos mais Aniversários!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D