Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

“Momentos de Poesia”: Homenagem a Miguel Joanes.

Castelo de Vide – Sábado 21/10/23 – 15h. 30’ – Igreja de S. Tiago.

Cartaz Momentos Poesia. Out. 23.

Ontem, apresentei divulgação de “Tertúlia de Poesia do CNAP“, em Lisboa.

Hoje, voltamos ao nosso querido Alentejo! Para divulgarmos outro Evento Poético: “Momentos de Poesia”.

Este acontecimento poético, pioneiro, único na Cidade de Régio – Portalegre, no próximo sábado, desloca-se a Castelo de Vide, outra das bonitas localidades deste Alentejo do Nordeste.

Para homenagear Miguel Joanes.

Miguel Joanes é um Poeta ímpar. “Repentista”! De improviso, cria Poesia! Por várias vezes em que assisti ou participei em “Momentos de Poesia”, no final, este Poeta “Dizia a sua Poesia” sobre o acontecimento. Em verso, nos contava – rimando - sobre a ocorrência, os participantes, os organizadores, particularidades, aspetos de realce ou que lhe despertaram atenção, no decorrer da sessão poética. Algo digno de se presenciar, de ouvir, de ver o seu estro, enfatizando a Palavra, o Verbo, a narrativa poética.

Bonita e merecida homenagem!  

O cartaz, em epígrafe, especifica sobre o assunto.

E também, para homenagearmos o Poeta, inserimos um dos poemas de sua autoria, de sugestivo título: Amigos!

          « AMIGOS»

«Eu tenho muitos amigos

Amigos serão de verdade

Meus amigos do presente

Amigos de toda a gente

Nas doenças e amizades

Amigos quantas saudades

Tenho amigos, muitos amigos,

Até não sei quantos são

Amigos do coração,

Na vida que imagem linda

Tenho amigos, sempre amigos

Quantos são, não sei ainda!...

 

Amigos dos bons “MOMENTOS”

E os d’alegres divertimentos

Os d’aventuras reais

Amigos, cada vez mais

Que sonham na vida e na paz

Cada amigo é bem capaz

De lutar p’la união

Eu tenho amigos, e amigos…

Amigos do coração!!!»

                                                               Miguel Joanes

*******

Flores silvestres. Março 2021

Parabéns a todos os Organizadores, com especial realce a Drª Deolinda Milhano e Sr. José! Votos de excelente evento!

Felicitações a Miguel Joanes e que ainda tenha oportunidade de o ouvir “Dizer a sua Poesia!

(Saúde e Paz!)

***

(Imagens:

Cartaz, cedido pela organização, bem como Poema.

Flores silvestres, da Serra de Portalegre: foto de minha autoria - Março - 2021.

Poema de Miguel Joanes.)

 

Tertúlia de Poesia do CNAP - Lisboa

Círculo Nacional D’Arte e Poesia

 Lisboa - Portugal - Out / 23

Rosa acetinada. Foto original. Out 23

Volto a divulgar eventos de Poesia.

Há algum tempo que não participo em eventos de Poesia na “Grande Lisboa”. Desde a pandemia, mais precisamente.

Não podendo estar presente, convide-o a si, Caro/a Leitor/a, a participar, caso tenha possibilidade ou a divulgar entre os seus conhecimentos.

Anexo texto divulgativo, dimanado dos organizadores:

O Poeta Rolando e a Poetisa Maria Olívia.

***

“Olá, pessoal

A próxima tertúlia terá lugar no mesmo Local : Av. Alm. Reis, 74. Café Docel.

Será na 5a. Feira, dia 19, às 15.30 h.

Obrigado a todos. Bem-vindos.

Olívia e Rolando.”

Café Docel. imagem da net google

Formulo votos de que corra tudo pelo melhor, com muita saúde e Paz.

Um grande abraço,

Francisco Carita Mata

*******

(Imagem da rosa de minha autoria.

Da Pastelaria, a partir do google, julgo que da própria Pastelaria, passe a publicidade.)

 

Posts em Aquém-Tejo e Tags

Que se passa com os posts de “aquém-tejo.blogs.sapo.pt” e as “tags”?!?!

Rosa singela. Original. 04.06.23.

Porque é que os postais do blogue “Aquém-Tejo” não aparecem nas “Tags” (Etiquetas) habituais?

Antes de mais, atrevo-me a afirmar que deverei ter feito alguma das minhas aselhices. Não sei! O que sei é que já há algum tempo, não sei precisar desde quando, publico postais neste blogue, e não surgem referenciados nas “etiquetas” / tags mais comuns e que registo.

Na tag “últimos posts” deveria surgir sempre por inerência funcional. Também coloco “poesia”, habitualmente “quotidiano”, por vezes “opinião”. Os postais não aparecem.

Já os que escrevo em “Apeadeiro da Mata” aparecem.

Gostaria que a Equipa que coordena o SAPO me esclarecesse e elucidasse para que eu pudesse resolver a situação. Se faz favor! (SFF!)

Muito obrigado!

(Era para ter publicado, ontem, este postal simultaneamente com o que publiquei em “Apeadeiro”, mas foi-me impossível.

Foto?! Também de uma rosa singela!

O Verão chega hoje?! Por aqui, já chuviscou. E está fresco. Gosto do Verão fresco!)

 

Um Soneto de Camões!

Rosas. original. 04.06.23

«ERROS MEUS, MÁ FORTUNA, AMOR ARDENTE»

 

«Erros meus, má fortuna, amor ardente,

Em minha perdição se conjuraram;

Os erros e a fortuna sobejaram,

Que para mim bastava amor sòmente.

 

Tudo passei; mas tenho tão presente

A grande dor das cousas que passaram,

Que as magoadas iras me ensinaram

A não querer já nunca ser contente.

 

Errei todo o discurso de meus anos;

Dei causa a que a Fortuna castigasse

As minhas mal fundadas esperanças.

 

De Amor não vi senão breves enganos.

Oh! quem tanto pudesse, que fartasse

Este meu duro Génio de vinganças!»

 

*******

 

In. “…  Sonetos e Canções (Camões) – para o 5º ano dos Liceus – Porto Editora – Porto

Por J. Simão Portugal e M. Francisco Catarino

Edição: Anos 60? (séc. XX)

*******

(No respeitante à transcrição deste Soneto de Luís Vaz de Camões poderão ser formuladas diversas críticas metodológicas. Aceito-as.)

Pretendo apenas divulgar mais um Poema do Poeta dos Poetas, lembrando-o, recordando-o, que apesar de no dia 10 ter sido comemorado, oficialmente, o seu “Dia de Camões”, certamente apenas os/as Poetas, dele se terão lembrado. Nomeadamente a APP. Honra lhe seja feita!

O/A Caro/a Leitor/a me desculpe, mas nas comemorações oficiais, nos discursos oficiais, alguém, algum personagem ilustre, lembrou o Poeta, lendo um dos seus Poemas?!

(Os “discursos” voltaram a bater na “gamba que anda na corda bamba”…

Até os Professores, em vez dum cartaz horroroso de feio, poderiam ter recitado ou transcrito alguns versos de Camões. Tantos haverá condizentes…)

Como, pelos vistos e ouvidos, ninguém se lembrou da Poesia de Camões, resolvi transcrever este Poema. (Mais vale tarde… E todos os dias são “Dias de Poesia”!)

Desejo que o Caro/a Leitor/a tenha gostado!

*******

(P.S. - Foto?! Gostou?! Se O/A Caro/a Leitor/a conseguir adivinhar onde existe a roseira, ofereço-lhe 1 Livro!)

 

“Gentes da Gente” foi ao Chamiço!

Ponte do Chamiço. Foto original. 02.02.23.

Rádio Portalegre – Monte da Pedra – Chamiço.

O Programa “Gentes da Gente”, da Rádio Portalegre, de 20/05/23, debruçou-se sobre o Chamiço, coincidindo com a tradicional Romaria, também realizada nesse dia.

Ouvi o programa com atenção, entre as sete e as nove horas da manhã. Gostei. Aprendi sobre aspetos que pouco ou nada sabia.

Os meus parabéns à Rádio Portalegre, ao programa “Gentes da Gente”, ao Sr. César Azeitona, pela operacionalização desta iniciativa. Ficámos todos a ganhar. A Região, o nosso Alentejo, as várias comunidades envolvidas. As Pessoas, que é esse o grande mérito do Programa. Valorização das “Gentes”!

(O Sr. César levantou as questões pertinentes.)

Os meus parabéns e agradecimento especial a todos os participantes, nas diversas vertentes do evento. No que é audível / visível e no que se infere dos bastidores.

Realço o testemunho das Senhoras entrevistadas, sem menosprezo das intervenções de todos os outros participantes. Porquê?! Porque permitiram-nos percecionar como se processou o reativar de alguma vida no antigo povoado. Através da romaria e da restauração da igreja, elas foram e são intervenientes ativas dessa ação.

O papel fulcral do Casal Pestana: Sr. António da Rosa Pestana e a esposa Dona Lúcia Maria, ambos já falecidos, foram os grandes dinamizadores / criadores das ações inerentes a esta Romaria - desde a sua génese.

Inferimos, a partir do que nos dizem as entrevistadas, que estas romagens ter-se-ão iniciado em finais de cinquenta / inícios dos anos sessenta, do século XX.

(Nas entrevistas, elas explicam-nos como tudo se iniciou e processou.)

Também, de algum modo, conseguimos deduzir como do orago “Martle Santo” / São Sebastião, da ancestral povoação habitada até meados do séc. XIX, se passou a venerar Santo Isidro, a partir de meados do séc. XX. (Entre as duas situações medeiam cerca de cem anos. Na década de trinta, do séc. XX, a igreja ainda estava em ruínas, conforme se observa em “Etnografia Portuguesa” Vol. IV, - Ed. 1958 - pp. 648, 649, 652, 653.)

Este santo é patrono dos agricultores e é venerado no mês de Maio. A romaria é na altura da Ascensão, tendo sido inicialmente na 5ª feira respetiva – 40 dias após a Páscoa – quando era feriado, passando depois para domingo seguinte. Atualmente, no sábado, que é mais adequado à vida atual, pois, sendo romaria, vem muita gente de Monte da Pedra, que vive fora.

(O painel do santo, em azulejo, na atual igreja restaurada, é de autoria de Quim Bragança.)

*******

Por agora, e em Aquém-Tejo, fico por aqui

Foto de Chamiço, tirada na visita efetuada em 02/02/23.

Simbolicamente, a Ponte. Verdadeiro Monumento ancestral, arquitetonicamente de grande harmonia, mas que está em processo de degradação. Deve ser classificada, como todo o conjunto envolvente - material e imaterial – a romaria e também as tradições do séc. XX inerentes.

Consulte também, SFF:

- Rádio Portalegre – Gentes da Gente no Chamiço – 20/05/23

O Chamiço, antiga freguesia do Priorado do Crato

Chamiço: Cruzamentos de Vidas!

O Chamiço em “Etnografia Portuguesa”

Ainda o despovoamento do Chamiço

 

Coletânea "ERA UMA VEZ...ALENTEJO" 23

Os meus contributos 2023 

Maios e Montado. Foto original. 04.04.23.

Maios: Liberdades de Abril!

 

Em Abril, abriu-se Maio

D’ amarelo giestal!

Já veio rola mais gaio

Há festa no azinhal!

 

Livre, corre, potro baio

Dançante no olival

Encanta patrão e aio

Nas terras de Portugal!

 

Em Portugal - Alentejo

Liberdade - meu País

Meu íntimo ser almejo.

 

Sendo velho, sou petiz

Quando teus campos revejo

Da minha vida, raiz!

 

Francisco Carita Mata – Aldeia da Mata – Alto Alentejo - Abril / 23

*******

Foto Original - Título: Os Maios e o Montado - Vista da Tapada do Rescão - 04/04/23 - Aldeia da Mata.

(A foto é ilustrativa do poema. O poema relaciona-se com a paisagem envolvente. Interligam-se.)

*******

Consulte S.F.F. - RECANTO das LETRAS

(Participação em 2022.)

 

Postal Nº 1111, em Aquém -Tejo!

Há pouco tempo atingi o 111 em “Apeadeiro da Mata”!

Vista geral. Foto Original. 07.05.22.

Acho piada a estas singularidades dos números! Mil cento e onze postais! Uns mais visitados, outros menos, certamente muitos ignorados. Uns mais interessantes que outros, de uma diversidade cromática, abrangendo variados matizes. Fica um registo documental de múltiplos temas sobre que me debrucei, nestes mais de oito anos em que tenho navegado no SAPO. Desde 08/10/2014.

Obrigado à Equipa SAPO, que nos proporciona esta possibilidade de expormos conceitos, ideias, assuntos. De nos expormos também, como é óbvio. Com aspetos positivos, alguns mais negativos.

Mas o balanço é extraordinariamente para o lado mais (+).

Muito Obrigado a todos os Visitantes, Visualizadores, Leitores, que de forma direta ou indireta, nos incentivam, valorizam o que vamos construindo, através destas comunicações.

A Si, Caro/a Leitor/a que nos comenta, opina, sugestiona, nos ensina, o meu muitíssimo Obrigado. O meu e o nosso Obrigado! Em nome de todas as pessoas que direta ou indiretamente nos ajudam, nos constroem estes postais, pois neles muitos trabalhos, nomeadamente em Poesia, não são de minha autoria. Muitas fotos também não. Embora, a partir de quando me entendi com o telemóvel, a grande maioria passou a ser de minha lavra.

Renovados agradecimentos. Votos de muita saúde. Que nos acompanhe por mais 1111 postais!

E que haja Paz!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D