Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

A Saga dos “Durrells”

O que lhes aconteceu?!

 Após o término da série “The Durrells”, a RTP2 apresentou o documentário, produzido na sequência do seriado, como forma de explicar o sucedido aos verdadeiros protagonistas. A série foi inspirada na vida dessa família, enquanto viveram em Corfu, bem como em pessoas da comunidade local. De forma algo ficcionada, como é natural.

Esse documentário passou ontem, dia 15 de Setembro, no horário habitual.

Se não viu, aproveite, SFF, enquanto está disponível na RTP2, retrocedendo, ou então vendo na RTPPlay. Adorei ver. Nem dei pelo tempo a passar. A narrativa é empolgante.

Vale a pena! Bem contado, bem documentado, excelentemente narrado, pela protagonista principal da série, a atriz inglesa, Keeley Hawes.

(Esta é a 3ª série que vejo, com desempenho desta atriz. Em “The Durrells”, foi o seu melhor papel. Luminoso, classificaria. Tal como o enredo e o conjunto da série.)

 

Que aconteceu então aos Durrells?!

Antes, uma síntese biográfica da Família.

Progenitores: Lawrence S. Durrell (1884 – 1928) – 44 anos e Louisa Durrell (1886 – 1964) – 78 anos

Filhos: Lawrence Durrell (1912–1990) – 78 anos; Leslie Durrell (1917–1982) - 65 anos; Margaret Durrell (1919–2007) – 88 anos; Gerald Durrell (1925–1995) – 70 anos.

Esta família tornou-se especialmente conhecida porque dois filhos Larry, o mais velho e Gerry, o mais novo, se tornaram conceituados e divulgados escritores.

Gerry também se tornou muito conhecido e popular, pela sua ação pioneira relativamente à forma de nos relacionarmos com os animais. Fundou um zoo, onde procurou aplicar as suas ideias, que ainda funciona, através de uma fundação. Participou em programas televisivos sobre estas temáticas. Em filmes. A série baseia-se muito nos livros que escreveu sobre a vida familiar em Corfu.

O irmão, Larry, como escritor, foi candidato ao Nobel em 61 e 62.

 

O documentário aborda estes assuntos, de forma apelativa e compreensível. A narradora, interliga os vários entre trechos e como referiu, durante os anos das gravações, tinha duas famílias. A real e a que desempenhava ficcionalmente em Corfu.

No documentário, interligam-se aspetos da ficção do seriado, com elementos da realidade dos personagens. Imagens fotográficas antigas, de filmes, de programas televisivos, de acontecimentos ocorridos na vida dos familiares. Depoimentos dos próprios e de pessoas que conviveram com os mesmos; as mulheres de Gerry, ainda vivas; vizinhas de Margot, de Bournemouth, uma sua neta; trabalhadores do Zoo.

Dos quatro filhos, Leslie foi o menos documentado, talvez porque a sua vida tenha sido um pouco mais discreta.

 Margot foi mais escrutinada, um pouco também pela sua vida mais excêntrica. O seu modo de vida menos convencional, as suas viagens pelo mundo.

 

A marca da Ilha fantástica, onde todos foram muito felizes esteve sempre presente e a importância que teve na respetiva formação pessoal.

Uma bisneta de Spiros prestou o seu depoimento. Abordou-se a dúvida, ainda persistente em Corfu, se o amor entre Louisa e Spiros terá sido mais que platónico.

(Que na série também não ficamos a saber muito bem, apesar de Louisa ter confessado à amiga, mulher do médico, que o desejava muito e de o ter beijado na praia.)

E no documentário também vimos o verdadeiro Theo, que compareceu como convidado, numa homenagem que fizeram a Gerry, enquanto “conservacionista”.

Não esquecer que Theo teve um papel importantíssimo na construção ideativa e nos valores interiorizados por Gerry, face às problemáticas ambientais, ao tratamento face aos animais e à vida na natureza. Aproveitou o interesse primário do miúdo face aos animais e ajudou-o a crescer e desenvolver-se. De certo modo, foi o seu mentor.

 

E ficamos por aqui, relativamente aos Durrells?!

 

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D