Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

A VER!

Nesta análise iniciada sobre alguns programas televisivos de canais generalistas não posso deixar de mencionar também o concurso “Quem Quer ser Milionário”, na RTP1 e a novela “Lado a Lado”, na SIC.

 

Quem Quer Ser Milionário?”

quemquersermilionario. in: www.espalhafactos.com/

Este concurso que é apresentado de 3ª a 6ª feira, atualmente cerca das 22h / 23h, por Manuela Moura Guedes, põe à prova a cultura geral dos concorrentes que a isso se submetem, na perspetiva de auferirem cem mil euros, o que, até ao momento nesta série, apenas um indivíduo conseguiu. Episódio a que não assisti.

 

Já não é a primeira edição deste conhecido concurso internacional, que foi apresentado por outros profissionais de nomeada da RTP, mas penso, sem desprimor por ninguém, que a atual apresentadora é a que, até agora, mais apelativo tem tornado o programa, nomeadamente pela forma cativante como consegue envolver os participantes, procurando geralmente “pô-los à vontade” e ir mantendo o suspense e doseando a tensão face às respostas e ao seu grau de certeza/incerteza… Por vezes, até muito subtilmente, propositada ou involuntariamente, ajudando-os…? Ou é apenas impressão minha?

É um programa de que sou fã.

Slumdog Millionaire Poster.jpg - wikipédia

Para quem gostar de aprofundar esta temática é imprescindível a visualização do conhecido filme britânico, de 2008,  “Slumdog Millionaire” / “Quem quer ser Bilionário”, realizado por Danny Boyle e baseado no livro de Vikas Swarap, também de leitura muito interessante.

livro quem quer ser milionário - in: LeYa online

 

Então, “mãos à obra”! Que, é como quem diz, olhos e cabeça na TV, no DVD e Biblioteca!

 

 

"Lado a Lado"

Lado a  Lado logotipo wikipédia

Sobre esta novela de época, que passa na SIC perto da meia-noite, aos dias de semana e às 23 horas, nos sábados, o reparo a fazer é a hora tardia a que é transmitida.

Pelas temáticas abordadas, pelas excelentes interpretações deveria passar a horas mais convidativas.

 

A ação decorre no dealbar do século XX (1904 - 1910), no Rio de Janeiro, à data, capital do Brasil.

Num Brasil republicano recentemente saído do Império (1889) e que abolira a escravatura em 1888.

No enredo da peça se entrelaçam personagens ainda pertencentes, melhor dizendo, defensoras da Antiga Ordem Imperial e outras que procuram e afirmam os novos Valores da Modernidade do século XX, iniciado apenas há uma dezena de anos, uma criança, diga-se…

 

Nesta novela, os papéis marcantes são, de facto, os femininos. As personagens femininas não só pelos temas que defendem, mas pelo seu desempenho, são as mais fortes e as que têm maior relevância. E é a primeira novela em que um par negro tem um dos papéis principais, sendo que no elenco os negros desempenham papéis muito importantes. A luta dos negros e das mulheres são duas das tramas principais do enredo.

Questões e Valores como Liberdade, Igualdade, Fraternidade; reconhecimento dos Direitos Humanos mais básicos - Direitos Civis (por ex. direito a entrar num Café...), que ainda que consignados na Constituição não eram reconhecidos e aceites pela Sociedade; Direitos Políticos (direito de voto de que mulheres estavam excluídas bem como analfabetos, ou seja quase toda a população...); Direito à Educação... Direito ao Trabalho... Direito à Habitação... Direito ao Amor...  Direito "ao Pão nosso de cada dia", que faltava na mesa, nomeadamente das crianças, que também têm desempenhos adoráveis! (...)  (...)

Todas estas temáticas e Valores, para além de outras, hoje comummente aceites e consignadas na Lei perpassam e são abordadas na trama da novela.

 

E todos estes assuntos mencionados e outros, nomeadamente preconceitos raciais e sociais, que passado um século aparentemente estariam desbloqueados, muitos ainda estarão bem presentes na sociedade (brasileira e não só)!

 

A ver!

Patricia Pillar, 2012.jpg. in: wikipédia

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D