Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

“Cabras Sapadoras” – 'Batismo' Polémico!

Mais uma Reflexão sobre a Prevenção dos Fogos Florestais!!!

 

Estamos quase no final de Janeiro, deste ano de 2018, que ainda mal se iniciou.

 

Como tem acontecido nestes últimos três anos, pouco tem chovido. Os ribeiros nem sequer correm. E faz imensa falta chover!

 

Todos sabemos o ano trágico que foi o de 2017, a partir do grande incêndio de Pedrogão, a 17 de Junho, ainda não se tinha iniciado o Verão e todos os que se seguiram, nos meses subsequentes, culminando no fatídico 15 de Outubro!!!

 

Ninguém deseja que se repita tal tragédia neste 2018.

 

Para isso é preciso que esteja já em ação, todo o trabalho de PREVENÇÃO.

Tanto pela Entidades Públicas, como pelas Privadas.

Sem demora!

 

Têm surgido notícias sobre as ações a desenvolver ou já desenvolvidas, umas que nos deixam esperançados de que se age ou irá agir. Outras nem por isso.

 

Sem qualquer pretensiosismo, gostaria de reportar para o que escrevi, e publiquei e que enviei para Entidades Competentes - Governativas, no âmbito da designada:

Consulta Pública sobre a Reforma das Florestas

“Alteração ao Sistema Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios”.

 

Este texto além de o ter publicado no blogue em 16 de Janeiro de 2017,

enviei-o, via mail, também para

Excelentíssimos Senhores Ministros de:

- Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural,

- Administração Interna,

- Ambiente.

 

Recebi respostas de:

 

- Secretário de Estado da Administração Interna, datado de 23/01/17, titulado “Prevenção contra incêndios florestais”, em que refere: “… informar que o contributo será considerado no âmbito da discussão pública da Reforma da Floresta.”

 

- Secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, igualmente titulada “Prevenção contra incêndios florestais”; Resposta – SEOTCN – ofº nº 110 – Data: 23/01/17 – 30/04/17 – “…foi tomada a devida nota sobre as sugestões enviadas.”

 

(…   …   …)

 

*******       *******

Agora, Caro/a Leitor/a,

Se tiver a amabilidade de ler o Texto enviado e as respetivas Sugestões nele registadas…

E se a nossa Governação Central e Local tivesse dado execução, pelo menos às medidas principais e, primordialmente, as respeitantes à PREVENÇÃO, nomeadamente a de curto prazo e que tem que ser feita anualmente.

(…)

Depois de tudo o que veio a acontecer!....

Não comento mais nada!

 

*******

 

Atualmente, preveem-se executar medidas de prevenção diversas.

E é importante e imperioso, e URGENTE, que elas sejam executadas, tanto pelas Entidades PÚBLICAS, como pelas PRIVADAS!

 

É deveras lamentável que neste País, no nosso País, só depois das desgraças acontecerem é que se providenciem ações concretas.

Que o que explicitei no texto, em muitos aspetos, foram sugestões que até já vêm vigorando há anos, só que os Poderes Instituídos e os Particulares, não lhes têm dado execução.

E não terão sido as únicas sugestões recebidas.

E, repito, a Legislação já consigna medidas de prevenção há muitos anos e em muitos diplomas legais.

Só que, neste nosso querido Portugal, “só depois dos trovões…”

 

*******

 

Muito é preciso fazer! Executar! Agir!

Muito se constata ainda que não está a ser feito e já há Autarquias a queixarem-se que não conseguem fazer os trabalhos necessários até Maio…

 

Não se esqueçam que os PARTICULARES também têm que fazer o que lhes compete e que da parte das Entidades Públicas será, muitas vezes, incentivá-los, obrigá-los, a essa execução.

O que é preciso é NÃO CRUZAR os BRAÇOS!

 

Serra Portalegre. Original DAPL. 2017.jpg

Porque se os Particulares fizerem o que é do seu Dever, ficam os Poderes Públicos com meios para executarem o que lhes respeita: caminhos públicos e vicinais, terrenos baldios ou de propriedade das freguesias, espaços confinantes com edifícios públicos, etc. e etc. …

 

Que trabalho para fazer é o que não falta!!!

 

E há por aí tanta gente que se queixa que não tem trabalho!!!

 

Por isso, “Mãos à Obra”!

 

*******

Não posso deixar de comentar uma notícia que surgiu sobre o ‘batismo’ de umas cabras que se prevê sejam usadas para prevenção primária.

As designadas “Cabras Sapadoras”.

Não discuto o nome, não sei se é um batismo feliz ou não, que nem sequer sou padrinho.

 

Mas que é importante que existam é!

Além de executarem uma atividade de prevenção primária, ainda serão uma fonte de riqueza e trabalho para as populações locais.

 

Eu até sugeri, primordialmente, ovelhas, para os caminhos vicinais, ribeiras, etc., porque são menos saltadoras.

 

Quanto ao nome das cabras se o acharem desadequado ou infeliz, chamem-lhes a elas, cabras, outros nomes:

Cabras Montesas”, “Cabras Serranas”, Cabras Sarranas”, como se dizia na minha Aldeia, “Cabras Saltadoras”, que é o que as cabras mais gostam de fazer… Há tantos nomes que não ferirão suscetibilidades.

Mas que é importante estas existirem, e exercerem a função prevista, lá isso é!

 

*******

E, também a propósito deste assunto, algo que também sugeri:

Implementação de unidades de transformação dos subprodutos das limpezas, dos matos. Situadas no Interior. E atenção sempre à poluição!

 

E globalmente relacionado com tudo isto, é imprescindível repovoar o Interior.

E uma das formas será a Descentralização de Serviços, Atividades, Unidades de Produção, também para localidades do Interior!

 

E tenho dito e terminado.

E, como eu gostaria que o conteúdo deste meu post fosse lido e refletido, pelas Entidades Competentes!

 

*******

 

E, já agora, é fundamental referir que a foto é um original de D.A.P.L. – Dez. 2017, minha colaboradora desde a primeira hora!

O que seria dos meus posts sem a sua imprescindível colaboração?!

 

Reporta-se a um terreno em socalcos, recentemente limpo, na Serra de Portalegre.

Que bem que precisa de ser limpa, nomeadamente e a começar, nos terrenos que estão a norte do Hospital Distrital e do Antigo Colégio, matos e acácias mimosas, a eito!

Daqui se faz um apelo às Entidades Competentes!

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D