Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

De que precisam os Povos de Abraão?!

Nascer do sol. Original. 09.10.23.

 

Votos de Paz e Amor - Caridade!

 

No Líbano, os cedros das montanhas

Porque gemem suas penas tamanhas?

Porque gemem?

 

Porque choram as nascentes do Jordão?

Porque chora, do rio, o coração?

Porque chora?

 

Na Babilónia porque correm as águas

Nos rios carpindo mágoas?

Porque correm?

 

Que estórias conta Xerazade

Aos meninos de Bagdade?

Que estórias?...

 

Porque silvam nos cumes nevados

Os ventos do Irão tão alterados?

Porque silvam?

 

O que sente quem foge pela serra

Com medo e pavor da guerra?

O que sente?

 

Que semeiam, da guerra, os senhores

Senão destruição e horrores?

Que semeiam?

 

Em que difere o sangue das crianças

Do Iraque, América ou de Franças?

Em que difere?

 

Em Gaza ou Tel Aviv, qual a cor da Esperança

No olhar duma criança?

Qual a cor?

 

Só pode ser a cor... do Amor!

 

Que Sonho perpassa na cabeça de quem passa

Pessoa de qualquer idade, em todo o país ou cidade?

O que perpassa?

 

O Sonho que por nós passa

Gente de toda a raça

Credo, costume ou cor

É sempre e só o Amor.

 

O que muita falta nos faz

É para além do Amor

Que no Mundo haja Paz, muito Amor e PAZ!

Nascer do sol. Original. 09.10.23.

 

Publicado em:

Boletim Cultural nº 113 do Círculo Nacional D'Arte e Cultura, Dezembro 2013. 

Boletim Informativo e Cultural Nº 69 de Associação Portuguesa de Poetas - Out./Nov./Dez. - 2014.

Publicado em “Aquém-Tejo” a 12/11, de 2014 sob o título: “Votos de Natal: Paz e Amor”

Hoje, resolvi reeditar este poema, escrito ainda na 1ª década do milénio, já publicado em diversos contextos.

Ilustrado com duas bonitas fotos do nascer do Sol na minha Aldeia, no dia 9/10/23.

Que o Sol, que “nasce” lá para as bandas do Oriente, ilumine os dirigentes destes Povos para que promovam a Paz!

 Francisco Carita Mata

 

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D