Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Outono / 23: De “Verão de S. Martinho” para Inverno!

Choupo negro. Foto original. Nov. 23

Nos Campos - Vale de Baixo, e num Quintal de Aldeia da Mata!

Choupo e freixos. Nov. 23

Hoje, 30 e Novembro, tem-se fartado de chover! A expressão é mesmo essa. O “Mês dos Santos” despede-se com chuva. Abandona o modo de Outono – “Verão de São Martinho” e entra no ciclo de Outono – Inverno.

Se continua assim a chover, com esta quantidade e ritmo, durante vários dias, será que vamos ter novamente cheias na Ribeira?! A ver vamos. Aguardemos!

Com esta chuva, tocada a vento, o que irá acontecer será que as árvores de folha caduca perderão completamente as folhas.

No Vale de Baixo, os renques de árvores, que temos no lado leste das valetas transversais, são deste tipo de folhagem: caduca. Quando as fui plantando, essa escolha foi intencional. Que, no Outono, proporcionassem precisamente essa imagem de conjunto de folhagem colorida de amarelos e laranjas. Mas este foi um processo de aprendizagem. Aprendi, por ex. que as árvores não são todas iguais, têm folhagens diferentes, de tipos e cores e o processo de amadurecimento outonal não é simultâneo. Por ex., agora, enquanto o choupo e as romãzeiras ainda têm folhas, bem coloridas, os freixos já as perderam há várias semanas. O mesmo se passa com outras árvores, de tão variadas que são!

freixos e choupo. Original. Nov. 23

Talvez venha a plantar mais choupos, mas que têm sido difíceis de abacelar. Os verões são muito quentes e secos. Vou fazendo, aprendendo por tentativa e erro, emendando, errando, mas fazendo sempre, sem desistir!

Nos últimos anos também tenho plantado e semeado árvores de folhagem persistente: sobreiro, azinheiras, loureiros, sanguinhos. Bem, pinheiros mansos já plantei há vários anos!

As fotos documentam Outono, ainda, mas Inverno a chegar! São da minha modesta autoria! São de 27 de Novembro todas.

As duas seguintes são de um quintal, no Bairro de Santo António.

De um diospireiro, ainda com folhas...

Diospireiro. Original. Nov. 23

e de outro, quase sem folhagem e ainda um apetitoso dióspiro:

Diospireiro. Original. Nov. 23

Bons passeios Outonais, com saúde!

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D