Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

20.Set.15

“Hospital Real” – 15º Episódio Television de Galicia - Comentários - Parte III

Francisco Carita Mata
Série da RTP26ª Feira 18/09/15ComentáriosParte IIIE não deixar de referir ainda… No respeitante ao enredo… e também às personagens Este enredo, neste décimo quinto capítulo, enredou-se bastante, devido aos desempenhos e ações de alguns personagens.Para esse facto muito tem contribuído Duarte. Ao fazer-se passar por Doutor Alvarez de Castro, roubando-lhe a (...)
12.Set.15

“Hospital Real” – 10º Episódio

Francisco Carita Mata
Série RTP26ª Feira - 11 de Setembro de 2015 E vamos de abordagem ao décimo episódio, ontem apresentado.  Não tendo morrido Dona Clara, será que ressuscitou? E, mais uma vez, se colocam em confronto, perspetivas contraditórias próprias de uma sociedade à beira de grandes transformações. O lado científico, positivista, afirmava que teria (...)
06.Mai.15

MÃOS (Poema)

Francisco Carita Mata
MÃOS   Mãos que correm Nos percorrem Mexem, andam, nos remexem Seguem, avançam Recuam, estremecem Sentem, apalpam, apertam. Que magoam. Que agarram, pegam Se crispam, enrugam Nos enganam Se apertam, enroscam. Que esganam.   Mãos que tremem Abanam, temem Se torcem, torcem Roem, as unhas roídas Pobres, livres, doridas. Mãos suadas.   Mãos que dão, recebem Mãos que roubam Tiram, põem Agitam, ajeitam Adornam, compõem.   Mãos limpas, escuras, calejadas De tornos, martelos e enxadas.
22.Jan.15

ADEUS!

Francisco Carita Mata
Adeus: A Deus   Nos fios do telégrafo, do telefone Aos magotes, em fila, empoleiradas Já se juntavam as andorinhas. Numa chiadeira ampliada a microfone Chegando-se umas às outras, encostadas Quase enchiam várias linhas.   Linhas, tantas linhas Percorrendo as folhas dos cadernos… Carinhos de cuidados sempre eternos. Caminhos de letras, a soletrar A descobrir, a conjugar Formando palavras, ideias Compartilhando, trocando, vivendo a meias Amigas, amizade, de amar.   E, as andorinhas (...)
29.Dez.14

A desilusão de ser Árvore de Natal!

Francisco Carita Mata
   Foi numa tarde ensolarada, mas fria, por acaso véspera de Natal, que assentei  raízes no local que é agora a minha casa. Foi em Dezembro, que o meu dono me plantou no seu valado, junto à casa, com vista para a igreja de São Martinho. Foi em clima de festa que eu nasci, de novo, nesta cidade. Para mim foi mesmo Natal, Nascimento. E, pensei, como seria lindo, uma festa, em que todos plantássemos uma Árvore, que todos fizéssemos sempre Natal. E, ao mesmo tempo sonhei, é agora, (...)
06.Dez.14

NATAL fora de moda!

Francisco Carita Mata
 POSTAIS de NATALdeAPBP - Artistas Pintores com a Boca e o PéCaldas da RainhaRua Belchior de Matos nº 5 r/c Dto Praticamente, hoje em dia, estará "fora de moda" o envio de Postais de Natal.Com tantos recursos eletrónicos, sistemas on-line de envio de informações, poucas pessoas usarão tal meio de comunicar. Infelizmente!Era muito gratificante escrever, enviar e receber estes lindos Postais Natalícios.Por isso não resisto a divulgar alguns exemplares... É também uma forma de (...)
19.Nov.14

Almada será a Capital do Cante?!

Francisco Carita Mata
SESSÃO de CANTEC.I.R.L. – Clube de Instrução e Recreio do LaranjeiroSábado, 15/11/14Não sei responder, pois ignoro o que se passa noutras regiões, nomeadamente no Alentejo do Sul onde certamente existirão regularmente sessões de cante, pois há muitos grupos nessa região. Havendo ou não noutros lugares certo é que, em Almada, (...)