Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Abril se despedindo a chover!

Uma sextilha que Abril me ditou, ao despedir-se!

 ******

Porque chorando ‘stás, tu, mês d’Abril

Se tens um dia valendo por mil?!

Bem sei! Raposa está no covil

Prontinha a servir o homem vil.

Saudoso de um tempo senil

Em que lobo rondava o redil.

*******

Fotos de ontem, em dia que não teve nada a ver com o de hoje.

Deu para passear.

"Boi d'Água"!

20240429_174354.jpg

Um caminho que desejamos para todos os "Abris" de Portugal: Verde de Esperança!

Desejo que Maio,venha "maduro", alegre e quente, como só Maio!

20240429_175157.jpg

(Estevinha rosa, planta singela, mas extraordinariamente bela!)

E laranjas: amargas,

que as provei!

20240429_175630.jpg

(Para lembrar a amargura, dos anos antes de 25 de Abril de 74!)

Que venha Maio. E que me traga mais inspiração, que, neste ano de 2024, pouco ou nada escrevi de Poesia!

Viva Abril. Viva Maio. Viva a Liberdade!

 

Primavera: ou prenúncio, já, de Verão?!

Ainda no Caminho do Boi d'Água de Baixo.

Flores de Macieira...

de Bravo D'Esmolfe:

20240414_190420.jpg

(Dois intrusos ou cooperantes? Dois "mosquitos", também polinizadores?!)

Giesta Amarela ou Maio!

20240414_185625.jpg

(Esta Giesta já está a caminho do Verão. Já tem os frutos. Pequenas vagens que, secas, lá para Agosto e Setembro, são um maná para as ovelhas!)

Planta de que não sei o nome:

Lembra o Alecrim, mas não é.

20240414_191305.jpg

Pinheiro Manso florido:

20240414_185559.jpg

Outra planta cujo nome desconheço:

20240414_191854.jpg

E, por aqui, "Aquém-Tejo", termina o passeio campestre. Talvez cheguemos ao "Apeadeiro"!

Mas não apanharemos o comboio, que, embora passando comboios, já deixaram de parar. Há quantos anos?!

Bons passeios, também para Si, Caro/a Leitor/a.

Saúde e Paz!

 

Caminho do Boi D'Água de Baixo - Abril 24.

Papoila Vaidosa!

(Nesta papoila, as pétalas têm coloração e design diferente da que apresentei anteriormente.)

20240409_122314.jpg

Jacinto das Searas:

20240409_122337.jpg

Feto? Líquene?!

20240409_122241.jpg

(Não sei.)

Giesta Amarela ou Maio!

20240409_122121.jpg

E esta planta?!

20240409_122034.jpg

(Se lhe disser que este arbusto já titulou um postal, noivando, bem florido, no mês passado?!

Agora, começou a frutificar. O Espinheiro!)

Bons passeios. Boa Primavera. Mas acautele-se com o sol excessivo.

 

Passeata na Cidade de Régio Abril de 2024!

Um rebento tardio de Olaia, florido, na Avenida Pio XII, no espaço do Hospital:

20240412_183221.jpg

Estevinha branca florida, no Caminho do Boi D'Água de Baixo:

20240412_181849.jpg

Planta muito peculiar, que desconheço nomenclatura, também no Caminho referido:

20240412_181213.jpg

Já se sabe. Imagem icónica da Cidade!

20240412_181557.jpg

Imagem pouco canónica, relativamente a limpeza de ruas:

20240409_123327.jpg

Estes restos de frutos são de árvores que bordejam a Avenida, anteriormente referida, tal como as Olaias, no lado do Hospital. Globalmente, designam-se "Ácer".

Uma sugestão que formulo às Entidades Camarárias da Cidade.

Não plantem mais Plátanos, nem destes "Ácer". Nem Olaias! Os respetivos frutos e as folhas enxameiam as ruas e passeios e os pós tornam o ar pouco respirável.

Se querem plantas que deem frutos e de folha caduca, usem os Carvalhos Negrais. Sempre são autóctones e podem apanhar as bolotas e dar-lhes alguma utilidade! (Digo eu, que nada sei!)

Se querem plantas de poucos frutos usem Loureiros, Aloendros, eu sei lá...

Fica a recomendação. Haverá mais plantas, para além das que referi. Preferencialmente autóctones.

 

Sabe que Planta é esta (XXIV)?!

Esta, eu sei qual é!

Conheço nomes comuns: Espinheiro, Carapeteiro... Pilriteiro!

20240319_183026.jpgFoto de19/03/24, no "Caminho do Boi D'Água" - Portalegre.

Esta também é um planta, neste caso, Árvore, que "noiva" ainda no Inverno.

Temos uma planta destas no "Quintal de Baixo". (Deram-nos em Almada.) E há muitas espalhadas pelos campos do Norte Alentejano, "noivando" agora, já com a Primavera!

Feliz segunda feira de Páscoa, apesar do frio, da chuva, do vento. 

Que o Inverno irrompeu por esta Primavera de 2024, ainda em Março e, pelos vistos, também irá continuar em Abril. A não ser que nos queira enganar neste "Primeiro de Abril"!

(Planta XXIII)

Flores de Cerejeira

No Caminho do Boi D'Água: Cidade de Régio - Portalegre.20240319_183508.jpg

Para assinalar o "Dia da Árvore", o "Dia da Poesia", o início da Primavera.

Ocorrências acontecidas anteontem, dia 21 de Março. Também quando iniciei esta postagem, através do telemóvel, que também ainda não consegui concluir, através desse meio tecnológico. (Hei-de conseguir!)

(Foto original de dia 19/03.)

Mas, como todos os dias são dias de celebrar a Árvore, a Poesia e a Primavera, o postal é concluído e editado, hoje, 23 de Março.

Saúde e Paz!

Visita ao Boi D’Água: Março 23

“Olha o meu perfil”!

Ir ou vir à Cidade de Régio e não dar um passeio pela Serra é ficar aquém dos encantos desta Cidade.

Assim, fomos dar um passeio a este vale incrustado nas faldas da Serra de São Mamede, virado a Sudoeste. Local de várias peregrinações pela Natureza.

Neste tempo, a “Cascatinha” está sempre a cantar.

Cascatinha. Foto original. 16.03.23.

(Gravei um vídeo, mas não sei colocar no blogue.)

Ficam as fotos.

A Ameixoeira brava: uma noiva, aguardando a Primavera, que está chegando.

Ameixoeira Brava. Foto Original. 16.03.23.

Um mirone já habitual nestas visitas. Também já figurou em postal.

Mirone. Foto original. 16.03.23.

(A fazer-se à “Selfie”. “Olha o meu perfil”!)

Placa indicativa de “Rua do Boi d’Água de Cima”!

Placa de Rua. Foto original. 16.03.23.

Quer dizer que por onde costumamos caminhar será “Boi D’Água de Baixo”!

Não concordo com a designação de Rua. Faz mais sentido chamar “Caminho” ou “Estrada”.

E, novamente a “Cascatinha”!

Cascatinha. Foto original. 16.03.23.

Bons passeios, com saúde e paz. Vem aí a Primavera.

 

Crónica Pós Pascal – Passeio: “Cabeço das Antenas”

Passeio Campestre - 2ª Feira de Páscoa - 5 de Abril

Boi D’Água – Miradouro – Cabeço do Mouro – Antenas – Boi D’Água!

Miradouro. Foto original. 2021. 01. jpg

Faz hoje oito dias foi 2ª Feira de Páscoa!

Ainda se lembra?! Tanta ocorrência nestes oito dias, que nem damos pelo tempo a passar.

E o que aconteceu de especial nesse dia 5 de Abril?

Pois, entre outros factos, iniciou-se a 2ª fase deste desconfinamento. Já nem damos por isso…

Mas acontecendo várias aberturas ao confinamento, a que estávamos sujeitos, uma que parece ser do agrado de muito boa e santa gente: A reabertura das esplanadas! E foi, e é, vê-las. Quem pode e gosta, não perde nem tempo nem espaço. O pessoal andava ansioso por se amesendar. Sequioso de umas cervejolas, sedento de saborear um cafezinho, uma bica ou um cimbalino, que é tudo o mesmo, dependendo do lugar. Desejoso de umas conversas com amigalhaços, de trocar dedos de prosa com conhecidos e familiares, afastados há tempos. Bem, elas aí estão. Abertas! Mas, acautelemo-nos, que o Corona anda por aí.

 

Nesse dia, melhor, no início da tarde, resolvemos fazer um passeio, uma caminhada que tinha de ser feita antes do Verão. (Explicarei porquê.) E, neste início de Primavera, o tempo estava mesmo bom!

 Sinal de Percurso. Foto original. 2021. 01. jpg

Seguindo na direção do Boi D’Água, percorrendo parte do trilho pedestre da “Fonte dos Amores” e do “Salão Frio”, subimos diretos ao Miradouro, por um “caminho de cabras”, usado também pelo pessoal dos BTT, que poderão, eventualmente, ser um perigo nestas situações.

Atingido facilmente o Miradouro, aonde pontificavam vários "mirantes", serão assim nomeados os sujeitos que, nos miradouros, miram a paisagem?! Os sobreiros estavam limpos, alguns cortados, não sei sob que critério…

Seguimos pela Estrada da Serra, diretos à Quinta da Saúde, ao Centro Vicentino da Serra. Aí chegados, cortámos na direção do Cabeço do Mouro, deixando, mais uma vez, o trilho pedestre assinalado.

Pois… tem toda a razão, Caro/a Leitor/a, ainda não disse em que localidade se processou esta caminhada.

Sim… é na Cidade de Régio, como facilmente pensou. Em Portalegre, Cidade…

O Cabeço do Mouro é uma pequena povoação, bem localizada na Serra, com vista privilegiada para a Cidade, para Marvão, para São Mamede, num espaço territorial planáltico, de boas terras e suponho de melhores águas.

Daí, chegámos ao “Cabeço das antenas”, que dominam todo o espaço territorial, vários quilómetros em redor. O nosso objetivo. E o consequente: descer essa encosta da Serra, relativamente íngreme, mais uma vez por caminhos de cabras e de BTTs, e chegar ao Boi D’Água, de onde havíamos iniciado. Fizemos não uma tapada, como diria meu saudoso Pai, mas um tapadão!

O caminho serpenteia em esses, pela encosta. Os terrenos, uns matagais. Árvores autóctones: sobreiros, azinheiras; arbustos com porte arbóreo, caso dos medronheiros; imensas giestas amarelas, floridíssimas, de cheiro acre característico; estevinhas brancas, estevas ou xaras; eu sei lá de vegetação herbácea, que a maioria não sei nome. Imensos, até por demais, pinheiros: bravos e mansos. A precisarem de um desbaste, corte radical, que, tantos milhares como são e no local onde estão, se tornam num perigo para todas as localidades, povoados e habitações próximas.

E esta é a principal razão, porque não queria efetuar esse passeio no Verão! Porque é um perigo!

A quem de direito: Urge mandá-los cortar, desbastar! Tanto pinheiral… O respetivo corte não renderá uma boa pipa de massa para os donos?!

Pinheiros bravos. Foto original. 2021.01.jpg

E para quando criar, por esse País afora, centrais de produção de energia ou outras unidades industriais, que utilizem toda a biomassa obtida com a limpeza de terrenos, matas e matagais?!

(Será conveniente re-industrializar o País, respeitando o Ambiente. Difícil?!)

Adiante…

Quis escrever sobre um passeio pedestre, acessível a muito boa e santa gente, como alternativa ao amesendar nas esplanadas. Sem ofensa ou algo contra. Mas temos paisagens tão bonitas em redor das nossa Localidades, pelo País fora.

Aventure-se! Atreva-se!

(As fotos, originais, são de alguns dos locais referidos, mas não do dia a que me refiro. Quando puder, elaborarei postal com fotos específicas.

Se as utilizar, noutro contexto, faça favor de citar a origem!)

 

“Passadiço” de Portalegre e Limpeza dos Terrenos

Cidade de Régio: Estrada da Serra – Encosta Norte do Colégio

Percurso do Passadiço. Foto Original. 2021.01. jpg

Um passeio, caminhando “Passadiço” acima, é sempre algo relaxante, por demais, quando em confinamento.

Terreno Limpo. Foto Original. 2021. 01. jpg

Em Janeiro, realizámos uma dessas caminhadas pelo “Passadiço”.

Lado Leste Estrada limpo. Foto Original. 2021.01. jpg

E pudemos constatar algo de muito positivo. Terrenos marginando a Estrada da Serra, limpos de matos, como forma de prevenção dos fogos. Foi tema que já abordáramos algumas vezes no blogue, em relatos de anteriores passeatas.

Sobreiral limpo. Foto Original. 2021. 01. jpg

Pois, agora podemos constatar que houve limpezas em vários dos locais em que eram necessárias. Por ex., na Fonte dos Amores as encostas a montante, lado Leste, foram desbastadas das matas. Também os sobreirais a jusante, lado Oeste da estrada, se encontram limpos.

Parabéns às entidades competentes que providenciaram essas limpezas, aos trabalhadores que as executaram. As fotos documentam esses factos.

Passadiço. Vista. Foto original. 2021. 01. jpg

E aproveitamos também para divulgar alguns excertos dos espaços que nos interpelam a atenção.

Escadaria Miradouro. Foto original. 2021.01. jpg

Deixamos à sua consideração apreciar as vistas e, quem sabe, realizar também alguma vez esse passeio - caminhada. Não se arrependerá.

Miradouro. Vistas. Foto Original. 2021.01. jpg

E por falar em limpezas, de matos.

Constatamos igualmente, agora, em Fevereiro, que um território que vinha pedindo limpeza há anos se encontra em processo de desmatação. Refiro-me à encosta da Serra, a norte do Hospital e do Colégio, que vê modificada a sua fisionomia, e bem, para melhor. Andam cortando e queimando os matos.

 

Difícil, difícil é erradicar as célebres acácias mimosas, agora floridas de amarelo, mas que sendo exóticas e infestantes, enxameiam os terrenos e são um obstáculo a uma limpeza eficaz.

No respeitante a estas árvores, o ideal é nunca plantá-las, mas uma vez efetuada essa plantação é uma trabalheira para nos vermos livres delas. Nem sei se conseguimos. É observar os terrenos a montante do Colégio, novamente cheios de ainda mais mimosas!

 

Sugestões:

Cortá-las verdes, é certo que passados meses estão em processo de rebentação. Queimá-las, ainda pior.

Experimentem, descascar-lhes o tronco, cerca de um metro a partir da base e deixar que elas se sequem, o que em princípio acontecerá. Depois de secas, então podem cortá-las. Não sei se será sempre eficaz. Todavia nalguns locais procedem desse modo.

 

E relembro as matas a Noroeste do Boi D’Água: pinheirais e matagais a pedirem limpezas.

 

E para quando as Entidades Nacionais, Públicas ou Privadas, implementam meios técnicos, industriais, para reaproveitar os matos, as lenhas dos desbastes efetuados? Por ex. produção de energia, a partir da biomassa.

*******

https://aquem-tejo.blogs.sapo.pt/arvore-europeia-do-ano-2021

https://aquem-tejo.blogs.sapo.pt/passeio-virtual-na-cidade-de-regio

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D