Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Estatísticas do Blogue: uma mania minha?!

Destaques / Quadras Tradicionais III – Santos Populares.

Altemira na Rua. Foto original. 2021.05.22.jpg

Visualizações de Junho 2021

1.686 Visitas »» 55 Média diária  ////// 3.715 Visualizações »» 120 Média diária

Altemira florida. Quintal. Foto original. 2021.05.22.jpg

Páginas mais visitadas (Visualizações nos últimos 30 dias)

(Recolha realizada hoje, 1 de Julho 2021.)

ANÁLISE:

Os valores globais ultrapassaram as médias habituais, porque houve dois destaques.

Neste mês de Junho, mês dos “Santos Populares”, a rubrica Quadras Tradicionais III  teve 562 visualizações. Este conjunto de quadras versam precisamente essa temática.

Associadas também as “Quadras Tradicionais I” = 45.

As rubricas que têm visualizações mais ou menos regulares, figuram também.

« Alentejo, Meu Alentejo»  95

Cremação: Que Destino dar às Cinzas?!  58

As restantes rubricas foram editadas neste mês de Junho.

Veremos se continuarão a ser visualizadas no futuro.

Altemira florida. Foto original. 2021.05.22.jpg

Ainda...

Páginas mais visitadas: Visualizações no último anoRecolha a 01/07/21

Altemira no quintal. Foto original. 2021.05.22.jpg

E, neste postal, fico por aqui.

Ilustrado com fotos de “Altemira”, do quintal. Fotos originais, para compensar quando publiquei o postal das Quadras Tradicionais III não ter utilizado fotos minhas, que não tinha, nem sabia tirar fotos, à data.

A foto que utilizei foi retirada da net. Se reparar na flor, verá que é “singela”, apenas tem um conjunto de pétalas formando a corola. As que apresento hoje são compostas: várias pétalas constituindo a corola.

Obrigado pela sua atenção!

Painel Setúbal. Foto original. 2021.06.22.jpg

Ainda voltarei a Setúbal!

Me aguarde, SFF.

Na foto, um banquinho para sentar!

 

 

 

 

Visualizações dos Postais no SAPO (II)

Aquém – Tejo: Análise e algumas considerações

Altemira no quintal. Foto original. 2021.05.jpg

 

A 31/05/21, registei as visualizações a mais de dois anos.

Apresentavam os seguintes resultados, desde Nov 2016 a 31 Maio 2021 (Quase 5 anos!)

Páginas mais visitadas:

 

Algumas considerações:

As Séries ocupam lugar de destaque. Onze postais entre os vinte primeiros lugares, sendo os dois posts mais visualizados precisamente dois da Série “El Princípe”, sobre que escrevi em 2016. Outras séries também: “Uma Aldeia Francesa” e “Agência Clandestina”, sobre as quais escrevi, também em 2016, mas continuam a ser visualizadas. (Sempre que a RTP as repete ou são passadas, por ex. no Brasil, recomeçam as visualizações dos postais.

Aliás, na Origem das Visualizações, outra funcionalidade SAPO, é dominante a proveniência de Lisboa e do Brasil. Dia 24/06/21, respetivamente: Lx = 13108 e Brasil = 11518. No mesmo enquadramento temporal já referido: vários anos.)

Mas as Séries perdem realce nas visualizações referentes ao último ano.

 

Há um item cujo significado, na realidade, não descortino muito bem que é “Aquém–Tejo”!

 

O postal sobre a “Cremação”, de 2017, tem tido uma pesquisa constante, mas veio aumentando bastante a partir de 2020. Ano da Covid e do aumento das cremações.

Peculiar que esse ano da Covid também tenha sido aquele em que a problemática da cremação mais se tenha acentuado. (Também gostaria de passar pelo Cemitério dos Olivais e perceber se os constrangimentos que observei na altura terão sido modificados.)

 

O postal “Ter um Limoeiro à Porta” escrito em Março, também de 2020, digamos que “assentou que nem uma luva” na fase que vivíamos de início da pandemia. Muitas dúvidas e inquietações sobre como nos prevenirmos face ao Corona. Simultaneamente e talvez também por isso, a Equipa SAPO destacou o postal. Esse fator potenciou a respetiva subida exponencial de visualizações.

Todavia foi um caso pontual, específico desse mês de Março de 2020, tendo “inflacionado” as inerentes visualizações (4616).

Mas foi um fenómeno típico e inerente às condições ocorridas nessa data da pandemia e ao destaque inerente.

Nos meses seguintes praticamente deixou de ser visualizado, conforme podemos observar nos dados estatísticos de um ano: de Maio 2020 a 31 de Maio de 2021. Este item já aí não figura.

 

“Alentejo, Meu Alentejo”, poema lindíssimo de Dona Maria Águeda, publicado em 07/10/17, mantem uma “procura” crescente e tenho observado que após a situação de ter sido proposto para gravação editorial de Fadista José da Câmara, a respetiva pesquisa vem-se mantendo regular e aumentativa.

(Pena tenho eu que não queiram gravar nenhum dos meus poemas, apesar da Equipa SAPO já ter destacado: “Venceremos”, “Selfie 2ª versão” e “Primavera das Flores”.)

 

Vou observando mensalmente, e verifico que alguns itens têm “procura” periódica.

As poesias dedicadas às “Mães” têm habitualmente mais visualizações no mês de Maio.

As “Quadras Tradicionais” aumentam as visualizações na proximidade e no próprio mês de Junho.

Mas mantem-se uma constância na “procura”, desde que foram publicadas, em 2015 e 2016. Mantêm visualizações tanto nos cinco anos transatos, como no último.

 

A "Amendoeira na história da arte e dos jardins", também é visualizada regularmente. Há muita gente interessada na questão das Plantas, da Natureza. O que é bom sinal!

 

Tempo de Poesia”, de António Gedeão mantém “procura” mais ou menos constante, desde que foi publicado em 2016. O mesmo direi de Florbela Espanca: “Torre de Névoa”, também de 2016.

 

Dados referentes ao Último Ano

Data de recolha: Desde Maio 2020 a 31 de Maio 2021, inclusive

13.912 Visitas – 36 Média diária de visitas

24.947 Visualizações - 64 Média diária de visualizações

Páginas mais visitadas:

 

(As rubricas a negrito são algumas das que foram destacadas neste espaço de tempo.)

 

Talvez, para Si, Caro/a Leitor/a, que teve a amabilidade de ler até aqui...

Tudo isto sejam manias minhas, idiossincrasias, talvez "deformação profissional". Talvez!

Mas eu quero ter estes dados e reflexões para me poder "orientar" neste espaço de intervenção a que me propus. Porque o blogue ultrapassou, de certo modo, o que eu esperava.

E não me esqueço do que escrevi no postal anterior e por analogia com o futebol. Jogo nem na 3ªdivisão. Sou simplesmente um amador, na equipa dos reformados.

E ainda sobre futebol... Se for a Sevilha, leve castanholas!

Grato à Equipa SAPO.

Os "Destaques" são uma boa medida para incentivar os "SAPOS". Incentivem também os Sapinhos, como eu e outros que vão escrevendo por aqui! Grato.

A Si, Caro/a Leitor/a que me motiva à escrita e análise, o meu Muito Obrigado!

(Foto? Original. De Altemira fiz um ramo... Evocação das Quadras Tradicionais.)

 

VISUALIZAÇÕES dos Postais na Plataforma SAPO (I)

Algumas Reflexões sobre…

Rochas de xisto. Foto original. 2021.05.11. jpg

A plataforma de blogues SAPO tem uma funcionalidade interessante que é a contabilização de visitas e visualizações, para além de outras virtualidades, mas estas são as que quero realçar neste postal.

Deste modo, podemos ter uma ideia de como os nossos trabalhos serão ou não vistos, lidos, por vezes comentados, mas essa é outra funcionalidade.

Com um horizonte temporal que vai até mais de dois anos, a quase cinco anos! Também nos permite ver a pesquisa mensalmente, para além da diária e semestral. O que nos possibilita ter uma perspetiva sazonal sobre a procura dos temas que vamos tratando.

Calçada, de sul para norte. Foto original. 2021.05.12.jpg

 

O blogue que venho construindo, a caminho de sete anos, abarca várias temáticas.

Umas mais específicas, outras mais gerais. Umas mais regionais, outras mais globais.

Muito tenho aprendido na gestão e funcionamento do mesmo. E com tanto ainda por saber!

 

Esses temas vão seguindo um pouco os meus interesses, e ultimamente também muitos como resultado da interação que se vai processando entre internautas nestas plataformas. Também e bastante da dinâmica social e até política em que estamos inseridos. Da realidade em que vivemos e nos condiciona.

 

Há sempre fidelidade aos objetivos primeiros por que foi criado este instrumento de divulgação.

E nesta divulgação, a Poesia está sempre presente. A minha ou a de outros Poetas e Poetisas, de renome ou não.

As crónicas.

As Séries têm andado arredadas. Vejo menos TV e quando vejo, poucas séries me têm impulsionado à escrita. Algumas que têm transmitido na RTP2 são curtas, não se proporcionando tempo de reflexão e análise.

Calçada para Atalaião. Foto original. 2021.05.12.jpg

 

Tenho pleníssima consciência que para muitos internautas estas “coisas” são minhoquices! Sob todos os aspetos e mais um. Os dados que têm das respetivas estatísticas ultrapassam completa e enormemente estes. Será como comparar a “velocidade” de “Reinaldo” com a de um jogador da 3ª divisão, que sou eu!

Mas a mim interessa-me perceber quais os assuntos que interessarão a possíveis, hipotéticos, leitores e também como é que essa “procura” se relacionará com a realidade social.

E, se os temas que abordo de caráter social terão algum impacto ou não. (?!)

 

Gostaria de ter um resultado global dos vinte primeiros itens desde o início do blogue: Outubro de 2014.

Não sendo possível…

 

A 31 de Maio, registei as visualizações a mais de dois anos.

Apresentavam os seguintes resultados:

Desde Nov 2016 a 31 Maio 2021 (Quase cinco anos!)

54.804 Visitas: 33 Média diária de visitas

93.536 Visualizações: 56 Média diária de visualizações.

 

Páginas mais visitadas:

 

Mantem-se uma média mais ou menos constante nestes cinco anos, sensivelmente semelhante à do último ano.

Pouco mais de 30 visitas diárias. Perto de 60 visualizações por dia.

(Em próximo postal, especificarei sobre estes assuntos.)

Obrigado, pela sua atenção.

 

(As fotos? Uma das funcionalidades em que me autonomizei recentemente. Mas sempre, sempre, com uma ajuda preciosíssima. 

A 1ª foto, da estrutura de terrenos das caminhadas. As seguintes, das calçadas. Ligações a últimos postais. E porque a Vida é uma constante Caminhada, em Caminhos que nós próprios construímos, como dizia o Poeta!)

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D