Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Passeata na Cidade de Régio Abril de 2024!

Um rebento tardio de Olaia, florido, na Avenida Pio XII, no espaço do Hospital:

20240412_183221.jpg

Estevinha branca florida, no Caminho do Boi D'Água de Baixo:

20240412_181849.jpg

Planta muito peculiar, que desconheço nomenclatura, também no Caminho referido:

20240412_181213.jpg

Já se sabe. Imagem icónica da Cidade!

20240412_181557.jpg

Imagem pouco canónica, relativamente a limpeza de ruas:

20240409_123327.jpg

Estes restos de frutos são de árvores que bordejam a Avenida, anteriormente referida, tal como as Olaias, no lado do Hospital. Globalmente, designam-se "Ácer".

Uma sugestão que formulo às Entidades Camarárias da Cidade.

Não plantem mais Plátanos, nem destes "Ácer". Nem Olaias! Os respetivos frutos e as folhas enxameiam as ruas e passeios e os pós tornam o ar pouco respirável.

Se querem plantas que deem frutos e de folha caduca, usem os Carvalhos Negrais. Sempre são autóctones e podem apanhar as bolotas e dar-lhes alguma utilidade! (Digo eu, que nada sei!)

Se querem plantas de poucos frutos usem Loureiros, Aloendros, eu sei lá...

Fica a recomendação. Haverá mais plantas, para além das que referi. Preferencialmente autóctones.

 

Estevinha Rosa… e Jóia da Coroa!

Natureza Campestre na “Cidade de Rio e de Mar”!

Neste, como em postais anteriores, tenho-me debruçado sobre aspetos da Natureza.

É uma forma de proporcionar vistas de aspetos naturais, dos campos que percorremos. Enquanto é Primavera!

Para todas as Pessoas que têm a amabilidade de visitar os postais, acompanhando os percursos divulgados. Muito especialmente os/as que não têm possibilidade de efetuar tais passeios.

Realce muito especial aos que têm a simpatia de nos dar opinião.  

Também é uma homenagem aos blogues com quem tenho aprendido nestas coisas da Natureza, especialmente sobre Plantas e Animais, primordialmente Aves.

Mesmo nas Cidades é possível contactarmos com aspetos naturais, por vezes bem perto de onde moramos.

Hoje apresento fotos de plantas em floração, algumas já aqui documentadas.

Estevinha Rosa. Foto original. 2021. 04. jpg

A foto de “capa” é de uma “Estevinha…Rosa”.

Estevinhas Brancas. Foto Original. 2021. 04. jpg

A 2ª, de “Estevinhas Brancas”, já aqui apresentadas anteriormente.

Madressilva. Foto original. 2021. 04. jpg

A 3ª, de “Madressilva”.

Orquídea  Selvagem. Foto Original. 2021. 04. jpg

A quarta?! Bem a 4ª é a “Jóia da Coroa”! O que é?!

Pois… nem mais nem menos… É uma “Orquídea Selvagem”!

Bem dentro da Cidade!

Planta que desconheço nome. Foto original. 2021. 04. jpg

A 5ª é a flor de uma planta que não conheço.

Raízes de Carrasco. Foto original. 2021. 04. jpg

E a sexta foto é de um aspeto de pormenor de um “resto de falésia” (?), vendo-se as raízes de um carrasco.

 

Espero, Caro/a Leitor/a que tenha gostado.

Onde é que observei estes pormenores naturais, em espaço bem dentro da Cidade?!

Bem…na “Cidade de Rio e Mar” – “Alma subtil bem amada” – no Parque da Paz!

Que é do que mais o Mundo precisa: PAZ! E Saúde para todos!

 

Passeio Cabeço das Antenas: Imagens (I)

Um Passeio Pedestre Cheio de Boniteza!

Um Convite às Caminhadas!

 

No postal “Crónica Pós – Pascal: Passeio Cabeço das Antenas”, de 12 de Abril, referente a um passeio pedestre, realizado na 2ª Feira de Páscoa, dia cinco, na Cidade de Régio, comprometera-me a divulgar as fotos que tirara, à data.

Ontem, com a ajuda preciosíssima da minha impecável “Ajudante e Mentora”, transpus as fotos para computador, organizei as referentes ao passeio, selecionei algumas mais significativas e, hoje, vou publicar algumas, de modo a dar uma ideia da boniteza da passeata.

O Alentejo é sempre bonito! Todos ou quase diremos o mesmo no referente aos nossos territórios ou àqueles de que gostamos. Digo eu, sei lá!

Mas nestes meses de Primavera é especialmente apelativa a paisagem alentejana.

Vamos ao percurso?!

Ainda na Cidade, a 1ª imagem reporta-se às olaias floridas.

Olaias na Cidade. Foto original. 2021. 04. jpg

A 2ª foto é de estevinhas brancas, singelas, mas apelativas. Tendo ao lado um “malmequer”. Já na beira da estrada alcatroada, antes de infletir para a Serra, perto dos “depósitos de água”(?).

Estevinhas brancas. Foto original. 2021. 04. jpg

A 3ª foto é de rebentos de carvalho negral, já na encosta da Serra, mas ainda antes do Miradouro. Prestes a começar a subida íngreme para o mesmo, através de “caminho de cabras”. Já fora do roteiro assinalado para percurso.

Carvalho negral. Rebentos. Foto original. 2021. 04. jpg

A 4ª foto é marcante. No mesmo local da foto anterior, reporta-se a uma tapada, murada e aramada. A vegetação dominante são os sobreiros, árvores autóctones. Se reparar com atenção, pode verificar que não aparece mato nos espaços entre as plantas arbóreas. Se conseguir visualizar ainda com mais atenção, observará mais ao fundo uma cabra amamentando um/a chibinho/a. Pois… nesse terreno pasta habitualmente um rebanho de cabras, que desbastam o mato. São as célebres “cabras sapadoras”! Um dos melhores métodos de prevenção de incêndios.

Sobreiral e Cabras. Foto Original. 2021. 04. jpg

Continuando e agora praticamente no Miradouro, contemplamos a Cidade.

Intrigantes os fios?! De algum teleférico?! Até seria interessante! Tivesse a Cidade dinheiro para tal, meios para executar tal obra e ela se justificasse com retorno financeiro, até seria uma ideia original…

Vista da Cidade. Foto original. 2021. 04. jpg

A 6ª foto é de um sobreiro limpo, junto ao miradouro, de que vemos um excerto.

Sobreiro limpo. Miradouro. Foto original. 2021. 04. jpg

A 7ª é de um sobreiro cortado. Acho peculiar a marca identitária do cortador!

Assinatura Sobreiro. Miradouro. Foto Original. 2021. 04. jpg

Já após o Miradouro, observamos restos de troncos de mimosas. Neste ano e finais do ano passado, têm limpado muitas encostas serranas destas infestantes. Cortaram milhares, que queimaram. Elas já estão de novo a rebentar por todo o lado. Fizeram bem em cortar, mas são uma praga… Já escrevi sobre o assunto.

Acácias cortadas. Foto original. 2021. 04. jpg

A 9ª foto, já a caminho do Centro Vicentino.

Vista da Serra da Penha e do vale que a separa da restante Serra. Uns “restos” de Cidade! A vegetação autóctone: carvalhais, sobreirais... desbastados das mimosas.

Serra da Penha. Foto Original. 2021. 04. jpg

Imagem de uma glicínia florida, debruada dos muros de uma das muitas e belas quintas da região.

Glicínias na Serra. Foto original. 2021. 04. jpg

E a 11ª foto indica-nos que estamos novamente no percurso assinalado para passeio pedestre e que vamos no caminho certo. Mas, hoje, não vamos prosseguir.

Seguiremos amanhã.

Obrigado por nos ter acompanhado nesta passeata.

Votos de Boa Viagem. Bons Passeios! Muita Saúde!

Sinal de Caminho certo. Foto Original. 2021. 04. jpg

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D