Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Um Figo da Índia muito especial!

Votos de saúde, e bons frutos.

Figo da Índia. Foto original.  2022.09.07. jpg

Habitualmente os figos inserem-se no tronco através de um pequeno pecíolo. Mas estão separados dos ramos a que estão ligados.

Neste, o ramo e o figo estão incorporados um no outro.

Mais uma particularidade desta planta já de si por demais peculiar.

Bons frutos!

Figos, figos da índia, uvas, amêndoas de casca. Não me lembro de alguma vez ter comido tantos frutos colhidos diretamente da Natureza. E muitos de plantas e árvores que eu próprio semeei, abacelei, plantei, arranjei, reguei, protegi das ovelhas… Eu sei lá!

E amoras silvestres!

Votos de um bom Setembro!

 

Frutos de Agosto

Composição de vários frutos, colheitas de Agosto.

Frutos de Agosto. Foto original. 2022.08.22.jpg

De plantas, de árvores, dispostas, plantadas por mim ou por antepassados meus.

De frutos colhidos também em Agosto e já em Julho e até em Junho, só faltam nesta composição as amoras silvestres, de que já falei no blogue. Mas essas, frutos das silvas, como nascem espontaneamente não constam desta cornucópia. Ademais, porque as colhidas neste mês já estão congeladas, para Alguém muito especial fazer compota, tal como no ano passado. E que ficou uma delícia!

O/A Caro/a Leitor/a, consegue, certamente, identificar todas as variedades apresentadas.

Dirá: Figos, figos e mais figos. Algumas uvas e amêndoas de casca! Não há qualquer dificuldade.

É verdade. Mas ele há figos e figos! Desde logo, os figos "autóctones", de que também já falei e sobre que disse “Colher figos não é roubar”! Que prometi desenvolver o tema e ainda não consegui organizar-me para tal.

Para além dos autóctones, também figuram os figos da Índia, mas que não são originários desse subcontinente. Por engano de Cristóvão Colombo e seguidores… Adiante…

Já estão descascados, prontos a degustar. E a trabalheira que dão! Especialmente a colher. Devido aos picos, que afinal são folhas e o que parece folha, afinal é tronco. Que esta planta é toda ela uma confusão! Mas que os frutos são deliciosos, lá isso são! Arranjadinhos, guardados no frigorífico, são mais saborosos que ananás.

Dos figos autóctones apresentam-se várias qualidades. Também não sei todas as designações. Uns são brancos, outros pretos, que aqui não há racismo. Por fora. Por dentro, vão dar quase à mesma cor, pérola, amarelo, esbranquiçado, uns a tender mais para o avermelhado, rosado.

Consegue identificar alguma das variedades?!

Figos-reis, figuram alguns. Pequeninos este ano, que a chuva tem sido escassíssima. Embora, por vezes, regue as figueiras, nada como alguma chuva, menos calor e menos vento suão. A Natureza, apesar de todas as adversidades, continua a ser pródiga e Mãe para todos nós!

Também há figos verdeais e figos de pingo mel.  São brancos. Consegue distingui-los? Uma qualidade, cujo nome desconheço e figos “abebos”, que também já figuraram no blogue. Estes são pretos por fora, tal como os figos-reis.

Para além dos figos também se documentam as amêndoas de casca, doces. E as uvas. Penso que Dona Maria!

Trabalhos do bicho tem a amiga do padre”. Enquanto eu fazia a composição dos frutos para a fotografia, a minha Mãe fez o comentário anterior. Assim como uma espécie de provérbio, aforismo, dito popular. Algo que se diz sobre trabalho, tarefa, talvez um pouco sem jeito, despropositada ou cujo labor não tem proveito nenhum. Digo eu.

Sobre algumas histórias mais, sobre as árvores que produziram estes frutos, escreverei no outro blogue.

Saúde, Paz e bons frutos de Verão.

Que acabem os fogos e as guerras!

 

Novembro: Mês de Celebração!

Mês de Novembro é mês de lembranças, de recordações...

Mas também é de celebração. Celebração e comemoração de quem faz faz, hoje, oitenta e seis Primaveras.

Foto0935.jpg

 Melhor dizendo, oitenta e seis Outonos, que é o Outono que comemoramos.

Palavras?! Que palavras, para descrever a Juventude, a frescura de quem está sempre pronta para oferecer um ramo de cheiros e frescos do Quintal - Horta - Jardim - Pomar?

Dar de mãos cheias: verduras - acelgas, couves, espinafres; ramo de cheiros - hortelã, salsa, coentros, tomilho, poejo, mangerona... Frutas - laranjas, limões, mirtilos, medronhos... Flores - rosas, tantas rosas! Crisântemos, esta flor outonal, uns ramos de hera, iris, malva sardinha, malva rosa, malva de cheiro, malva Amor... 

Foto0941.jpg

 

Rosas! Um ramo, um regaço de rosas...Rosas brancas de Santa Maria, rosas rosas de Santa Teresinha, rosas de cheiro bravias, rosas amarelas, vermelhas, salmão, brancas, rosas rosas e cheirosas... Rosas!

Foto0468.jpg

Quem está sempre pronta para dar. Dar é uma forma de Amar! Um Amor sem condição, incondicional.

Foto0469.jpg

Palavras?!

As triviais: Parabéns! Felicidades! São os votos que formulamos.

Foto0476.jpg

Não há palavras para o que sentimos.

Foto0919.jpg

 

Obrigado por tudo o que lhe devemos, pelas dádivas que de Si recebemos, pelo que nunca lhe pagamos.

Um muito obrigado de todos nós!

Verão dos Marmelos / Verão de São Martinho

Final de Outubro, quase Novembro! O Outono na sua pujança, neste ano um quase Verão. "Verão de São Martinho" antecipado, que neste ano se juntou ao "Verão dos Marmelos". Falar de  Outono é falar dos frutos de Outono. Nozes, avelãs, frutos secos! E poder-se-á falar de Outono sem falar de marmelos, dióspiros... E de romãs?! Essa fruta tão cheia de significados, tão bela na sua forma e conteúdo. E tão saborosa... E tão rica nutricionalmente.

Foto1605.jpg

 

Falar de Outono é falar dos Santos. Falar dos "Santinhos". Quando se pedia os santinhos de porta em porta e trazíamos, contentes, um saco com marmelos, passas de figo, romãs, algumas nozes, que havia poucas... Algumas guloseimas... Uns tostões...

 

Da ida às "Alminhas" onde andava a "Unha de Boi"...

 

Mas esses são outros temas, de outro post..

 

Sobre uma mesa de fórmica, de produção industrial, uma imagem de natureza, de produção artesanal: romãs, marmelos, dióspiros. Sobre um naperon em crochet, trabalho manual em forma de peixe, lembranças de mar, que a forma coletiva dos frutos pretende sugerir. Frutos da Terra, sugestionando frutos de Mar.

Foto1604.jpg

 

E termino com esta imagem deste Outono! Outono?! Verão, tal o calor! Quiçá Primavera, de tão verdes os campos?! Faltam-lhe as flores, mas as ovelhas pastam abrigadas, como nos velhos tempos. A imagem das casas da Aldeia, no recorte do horizonte. As oliveiras centenárias, memórias de tempos de outros tempos, a azinheira que nasceu e prospera na racha de uma pedra granítica e o eucalipto que o meu Pai plantou, também entre duas rochas nascediças, como ele diria...

Foto1580.jpg

 

Neste post não posso deixar de agradecer à fotógrafa e construtora deste blog, apesar das suas objeções a que tal mencione. Sem ela ele não existiria.

À mãe da fotógrafa e à mãe do pai da mesma, pois nada existiria sem elas. E saudades ao meu Pai que pastoreia outros rebanhos...

 

Foto1587.jpg

Mais sobre mim

foto do autor

Posts mais Comentados

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D