Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Sankt Maik – Série divertidíssima.

Série Alemã - RTP 2 - 22h

Ontem, 2ªfeira, 08/08/22, foi exibido o 5º episódio, da 1ª temporada, desta divertida série alemã. E, finalmente, o falso padre, que toda a comunidade julga que o é realmente, teve acesso à custódia original, de ouro. Valiosíssima!

E ficará ele com essa preciosidade, que tanto ambiciona, para destrocar em dinheiro e pagar as dívidas das falcatruas que tem feito mais o seu compincha de habilidades de carteirista?

Isso saberemos hoje à noite, que, entretanto, teve a visita inesperada, mas desejada e expectável, da senhora comissária de polícia. Já?! Mas que polícia eficiente, diremos!

Não! Ela não entrou na casa paroquial enquanto polícia, mas na qualidade de mulher. E que mulher! Ademais armada com uma poderosa garrafa de vinho, para afastar possíveis pruridos do padre. Do “padre”, que não é padre!

Estão a repetir esta 1ª temporada. Ignoro se para dar continuidade a segunda leva deste seriado.

O enredo centra-se no desempenho quotidiano de um suposto padre católico numa povoação do interior da Alemanha. Onde?! Não sei muito bem. Nem em Berlim sabem!

Vi, parcelarmente, alguns excertos de alguns episódios no decurso da primeira apresentação. E observei a narrativa precisamente na perspetiva do referido no parágrafo anterior. De que o protagonista principal era realmente um padre. Não vira o episódio inicial e não fiquei grudado na série. Precisamente porque achei que as ações do padre não correspondiam ao tipo normativo das respetivas funções eclesiásticas. Praticamente desisti de continuar a ver.

Faz hoje oito dias, na passada 3ªfeira, 02/08/22, voltaram à apresentação do seriado. E logo que, no 1º episódio, num comboio, um habilidoso revisor ia pedindo os bilhetes aos passageiros, aliviando-os simultaneamente das carteiras, dos telemóveis, do que que vinha a calhar…. Sempre com um sorriso e umas amáveis palavras! Fiquei pegado à TV. Porque a série prometia. (O habilidoso carteirista era o atual "padre"!)

E, realmente, cada episódio tem sido por demais interessante. Cenas de farsa, assentes fundamentalmente no facto de sabermos que ele não é sacerdote, mas a comunidade em que se inseriu acredita que é.

Simultaneamente também verdadeiro e emotivo, porque o jovem padre se insere socialmente muito bem e desempenha excecionalmente a função social do sacerdócio num contexto moderno, imbuído do espírito de ajuda aos outros, dos mais fragilizados.

Mas fico-me por aqui. Resumir os episódios anteriores é complicado e estou com pouquíssimo tempo.

Vejamos o 6º episódio!  Para sabermos como se vão desenrascar o senhor padre e a senhora comissária de polícia. Mais a garrafa de vinho. E a custódia!

A Custódia?! Raios partam o padre! A custódia de Belém?! Belém?!

Só se for Belém do Pará!

E paramos por aqui!

Saúde! Paz! E boa disposição!

 

Eleições Antecipadas 30/01/22

Antevéspera, 28 de janeiro de 2022.

Laranjeira Limoeiro. Foto original. 2022.01.26.jpg

Sobre as eleições antecipadas já escrevi:

Debate...

Debates-da-pre-campanha...

Eleicões-antecipadas-30-de-janeiro...

Eleições-legislativas-antecipadas...

Por agora, não vou “mandar vir” mais sobre o assunto! O que desejo é que os resultados das eleições sejam esclarecedores e permitam formar um governo de estabilidade.

E que a Covid abrande, permitindo votar em segurança.

Limoeiro Laranjeiro. Foto Original. 2022.01.26.jpg

As fotos?! Uma Laranjeira -limoeiro ou Limoeiro – laranjeira! Que não sei qual é o porta-enxerto.

(Num quintal, em Palmela.)

Quem ficará com a Laranja?! Quem ficará com o Limão?!

Saúde, muita. E Obrigado!

Debate A. Costa versus A. Ventura!

Gato escondido. Foto Original. 2021.12.25.jpg

Questões pertinentes – Perguntas impertinentes!

Gato a saltar. Foto original. 2021.12.24.jpg

E mais alguns bitaites.

 

Vi o debate entre A. Costa e A. Ventura, no dia seis de Janeiro de 2022, 5ª feira. (Foi “Dia de Reis”, mas eles, de reis, não têm nada. São republicanos.)

Se gostei? Não, não gostei.

Se acho que valeu a pena? Não, não valeu. Face à finalidade de um debate.

Demasiados “ataques pessoais”, alguns sem muito sentido e até desenquadrados.

Os temas fundamentais, que foram aflorados, depressa foram enrolados na “discussão” perniciosa.

Essa disputa exaltada foi ganhando energia, culminando na interrupção “forçada” do debate, pelo limite de tempo.

Protagonistas e moderador ensurdeciam-se, na vozearia em que a “contenda” terminou.

Se irei continuar a ver debates? Não me parece que tal venha a acontecer. Talvez um ou outro excerto.

Se fazem sentido? Talvez façam. Há certamente quem goste. Quem aprenda. Quem tire proveito. Quem se decida, através deles. Não sei! Cada Pessoa é uma Pessoa!

Atentei na expressão facial / corporal dos candidatos. António Costa parecia que ia ao sacrifício.  André Ventura lembra aqueles miúdos no recreio sempre prontos para darem bicadas nos outros. Na sala de aula, à espera da melhor oportunidade, para confrontar o professor.

Posturas…

No que respeita a escolhas…

(Entre estes dois?... António Costa e o respetivo partido andam há dezenas de anos nestas lides. Toda a gente conhece. Para o bem e para o mal!

André Ventura, aparentemente, anda há pouco tempo nisto. Mas já sabe a música toda. Traz no ADN, a carga genética mais negativa da política, isto é, vem submerso em demagogia. Vale tudo e o seu contrário.)

Há muito por onde escolher. Pelo que contei, há quase uma dezena de candidatos a primeiro-ministro. Todavia, só um poderá ser. E, na prática, só dois eventualmente terão alguma hipótese.

Não gosto do discurso, à posteriori. Fulano ganhou. Beltrano perdeu.

E ainda menos deste tipo de discurso face aos resultados eleitorais. Quem vai para o exercício das funções políticas, deverá ir com o espírito de servir. De servir, friso. Com humildade. Esse espírito de “cantar vitória” deverá ser de outros contextos.

 

Que a Covid abrande, é o que mais desejamos. Assim como está… se a abstenção já é grande…

Faz-me alguma confusão que, havendo tantos casos, não haja alguma contenção das pessoas.

 

Anteontem ouvi comentários sobre nova sondagem. Será impressão minha, ou as sondagens e respetiva divulgação e escalpelização minuciosa, por comentadores encartados, funciona mais como condicionamento, manipulação, do que informação?!

 

E sobre abstenção. Quando reorganizam os cadernos eleitorais? Quando operacionalizam novas modalidades de votação?

 

Votos de muita Saúde. Livres da Covid!

 

Debates da Pré-Campanha das Legislativas de 30/01/22

Nalguns casos é mesmo só para “arrenegar” o adversário!

Gato no muro. Foto Original. 2021.12.01.jpg

Aproximam-se as legislativas antecipadas. Iniciou-se a pré-campanha eleitoral.

Considero estas eleições uma perfeita desnecessidade! Já o referi em postais anteriores, a um e a dez de Novembro de 2021.

Preocupassem-se os dirigentes partidários com os interesses do País e tinham-se esforçado por negociar, todos eles, sem exceção, a começar pelo defensor do orçamento, o partido no governo.

Abstinham-se os partidos não governantes, “deixando passar” o orçamento.

Que Sua Excelência o Senhor Presidente da República deveria ter tido outra atuação?! Sem dúvida. Ao começar a falar em dissolução do Parlamento, em eleições antecipadas, foi como se tivesse dado música aos partidos. Foi um cântico de sereia!

E a acontecer o que era previsível na Covid. Ontem quase chegou aos quarenta mil novos casos!

Mas como o que eu penso não conta nem desconta para o assunto…. Começou a pré-campanha eleitoral com os célebres debates televisivos.

Concordo com a realização de debates entre os vários candidatos a primeiro-ministro. Dois a dois, “como manda a lei”!

Se gosto de ver debates? Muito sinceramente, não tenho grande paciência. Mas já ouvi alguns excertos. E vou lendo as notícias…Dos que vi, nas questões “debatidas”, alguns candidatos focam-se em pormenores não muito relevantes. Andam ali à volta e as questões essenciais ficam por debater.

Seria fundamental que cada partido apresentasse as respetivas propostas fundamentais para o país em domínios essenciais das respetivas políticas que defendem. O que muitas vezes não acontece.

Alguns indivíduos vão para ali só mandar bitaites, para “arrenegar” o adversário, como dizíamos em crianças, uns para os outros. (É só para te arrenegar!) Há um tipo então que é especialista nisso. Adiante…  

Quando nos pomos a olhar para estes políticos atuais, deste século XXI, até temos saudades dos políticos a seguir ao vinte e cinco de Abril de 74, que ajudaram a criar, a consolidar, a estruturar a Democracia.

Podendo ou não concordar com eles, revendo-nos nós ou não nas respetivas políticas e ideologias, mereciam-nos admiração, ademais, agora, à distância. Independentemente dos respetivos quadrantes político-ideológicos!

Poderia citar nomes, mas não o faço. O Caro/a Leitor/a conhecerá tão bem ou melhor do que eu!

O que posso acentuar, isso sim, é que os atuais políticos bem se podiam mirar neles.

E lá teremos de ir votar. Esperemos que a Covid abrande!

E será que nós não teremos também a nossa quota-parte de ação no alcance desse objetivo?!

Gatos no muro. Foto Original. 2021.10.28.jpg

(Mais uma vez, os gatinhos do meu quintal servem de ilustração a um postal.)

Muita Saúde!

 

Vamos à Fonte… do Boneco!

Fonte do Boneco?!

Fonte do Boneco. Foto Original. 2021.12.01.jpg

Uns bitaites sobre “Questões Pertinentes – Perguntas Impertinentes”!

Alguns provérbios e frases idiomáticas!

Se, ainda em pleno século XXI, houvesse por hábito e necessidade ir à fonte, como ainda o era, até meados dos anos sessenta do século XX, na minha Aldeia, qual seria o tema das conversas de hoje, dia quatro de Dezembro de dois mil e vinte e um?!

Vou tentar imaginar alguns assuntos que seriam abordados, hoje: 04/12/21. Como se as pessoas fossem às fontes buscar água para as necessidades diárias, principal ou quase exclusivamente as mulheres. Os homens iam mais com os animais, muares, vacas, a dar-lhes de beber, nos tanques anexos, que são bem visíveis nas imagens das fontes já apresentadas, em Aquém Tejo e no Apeadeiro. Fontes do Salto, da Bica, de Alter, bem como a do Boneco, para que nos reportamos hoje. Em todas estas o “tanque das bestas” é bem visível.

Temas plausíveis de destaque, no dia de hoje:

O jogo do Benfica – Sporting. O que posso perorar, sendo benfiquista?! “Futebol é arrebol” traduz, de certo modo, a minha perspetiva sobre futebol, futebóis e futebolices!

A questão do célebre “passageiro” que circulava de táxi(?!) num dia fatídico de há meses, na movimentadíssima Autoestrada seis (A6). (Também e em pleno, no meu Alentejo! Bem perto da Cidade sem Tempo...!) Que, finalmente, se ausentou da governação. É caso para dizer, que “mais vale tarde que nunca”!  É pela persistência, insistência, predominância de personagens assim e assado, na politiquice, que nos alheamos e fartamos da política!

E, “a talho de foice” viria a desnecessidade de eleições antecipadas!

E a Covid, que hoje quase atingiu os seis mil novos casos! (Há escassos meses, especialistas no assunto alertavam que, para Dezembro, atingiríamos os dois mil casos. Ora, esse valor foi atingido a 17 de Novembro. E, agora, já vamos quase nos 6000!!! Chegando o Inverno e lembrando, tristemente, Janeiro e Fevereiro deste 2021, o que poderá suceder nos correspondentes meses de 2022??  Vindo Natal e Ano Novo e toda a gente a andar no trolaró… Em Janeiro haverá restrições, já anunciadas. É caso para dizer que “após casa roubada, trancas à porta”.

Certamente viriam outras temáticas, treinadores de bancada é o que mais há, atualmente tanto homens como mulheres. Sobre o “idiomático e pertinente passageiro” muito mais se diria, muito se disse e escreveu nestes meses, nas redes virtuais. Os atuais pontos de encontro, cavaqueira, coscuvilhice, “mentideiros” … As fontes… de informação e verborreia, tantas vezes… De manipulação, também!

Também me fico por aqui. Já atingi uma página A4 de paleio. Vou convidar o/a Caro/a Leitor/a a apear-se… e irmos à Fonte do Boneco! Prosear ou apenas ver a paisagem.

Caminho da Fonte. Foto Original. 2021.12.01.jpg

Obrigado por me acompanhar até este momento. Votos de muita saúde!

 

O Pote da Fortuna!

O Vaso do Dinheiro!

Vaso do Dinheiro. Foto Original. 2021.04.02.jpg

Pote, vaso, bacio, penico, vaso de noite, … chame-lhe o que quiser.

Numa das minhas deambulações, passeatas pelos campos, deparei com este insólito achado.  Perdida a função utilitária, o valor de uso, foi por ali abandonado. Ficou a apanhar "moedas".

Será uma Metáfora?! Uma Ironia?! Uma pitada de Humor?!

Caro/a Leitor/a, faça a leitura que muito bem entender.

Poderá reportar-se, metafórica, irónica, humoradamente, para o resultado, para o desempenho da Seleção Nacional ou para os respetivos, correlativos e associados, que muito bem lhe aprouver.

Ou para uma “Obra de Arte”, a chamada “Trash Art”. Aqui só a Natureza interveio, construindo, produzindo esta Obra. Pouca intervenção humana, para além do “despejar o bacio”.

Não é bem feito despejar lixo em qualquer lado, mas neste caso ter-se-á reportado a épocas em que ainda não haveria recolha de lixo… Digo eu… sei lá!

Haja Saúde! Não nos falte a boa disposição, nem o sentido de Humor!

 

Eleições Legislativas antecipadas?!

Não, Obrigado!

(Política e Politiquices!)

Pela minha parte, dispensava completamente que houvesse eleições antecipadas.

Será perceção minha ou todos os partidos, a modos que estavam pugnando para que o orçamento não fosse aprovado e viessem as eleições?! Todos com exceção do PAN e de alguns deputados a nível individual que tiveram o bom senso de se abster.

Atitude que outros partidos também poderiam ter tido. Tanto da dita esquerda parlamentar como da respetiva direita. Sim, porque se os partidos se centrassem nos interesses do País, porque não haveriam de viabilizar a aprovação do orçamento?! E porque não haveriam de se abster todos?! Que viessem eleições, sim, mas na altura própria.

Um País que está como está, endividado, que interesse para o País, advém de se ir gastar uma dinheirama em “propaganda” eleitoral?!

E Sua Excelência o Senhor Presidente da República antecipou-se desde logo a cenários desnecessários ou seria melhor que muitas e santas vezes se resguardasse mais um “poucochinho”?!

Não teria sido melhor que se situasse apenas enquanto Presidente?! Que se abstraísse da sua condição de Professor Doutor Marcelo Rebelo de Sousa, das suas antigas funções de político e partidário e ainda mais da de comentador televisivo?! Isto digo eu, que não sei nada.

Só sei que o País pouco ganhará com este cenário de eleições antes do tempo.

Não haveria outro modo de resolver o assunto?!

O Senhor Primeiro-Ministro começou logo a fazer campanha, mal houve a desaprovação do orçamento. E a pedir maioria absoluta? Mas que nos interessam maiorias absolutas com gente que não quer negociar com os outros partidos?! São sempre de más memórias.

E porque não fizeram acordos credíveis e viáveis, preto no branco, no papel, logo à partida?! Com os partidos com que se sentissem mais identificados. Porquê este “navegar ao sabor da maré”, sem uma definição de princípios e objetivos que melhorem a condição do país?!

Estamos…. Estou farto de eleições desnecessárias que só interessam às estratégias partidárias e aos respetivos líderes efetivos ou putativos. Este ano já tivemos presidenciais e autárquicas.  Cada uma no seu tempo e respetivo modo. Bastava-nos! No tempo próprio viriam as legislativas.

Agora já “anda tudo aí de rabo alçado”, a mandar vir uns com os outros. Até, internamente, alguns partidos são verdadeiros “sacos de gatos”!

Gatos. Foto Original. 2021.10.28.jpg

E, a propósito de gatos, ilustro com foto recente, dos gatinhos do meu quintal que, por enquanto, se dão mui bem.

Também continuo sem saber se são gatos, se gatas, se gato e gata! Eles ou elas que se amanhem!

Tenho dito! A Saúde é que nos move.

A chuva já chegou. Está cá desde sexta, dia vinte e nove.

Dos Marmelos, já se foi o Verão.

Falta o  do Martinho: Santo ou São?!

 

Pedras… Pedras… Pedras… (III)

Rolantes? Roliças? Cogumelos?...

Intervenções: Naturais!

Neste postal, apresento imagens de rochas que, de algum modo, foram sujeitas a intervenções. Do Homem, ou da própria Natureza. Esta, aliás, modelou-as a todas, de alguma forma. Podendo o Ser Humano ter intervindo também, de alguma maneira.

Neste Postal Nº 976, apresento rochas predominantemente "intervencionadas" naturalmente!

 Acho-as muito peculiares. Até as batizei! Se quiser, também lhes pode acrescentar nomes. SFF!

A seguinte, intitulo-a de: “Beijo”!

Rocha Beijo. Foto original. 2021.10.09.jpg

Esta de: “Marrada”!

Marrada. Foto original. 2021.10.09.jpg

“Pedra Parideira??”!

Pedra Parideira. Foto Original. 2021.10.09.jpg

“Dedos de Gigante: Impressão Digital”!

Impressões digitais. Foto Original. 2021.10.09.jpg

A "Baleia"!

Rocha Baleia. Foto Original. 2021.10.09. jpg

Sobre esta não lhe encontrava um título adequado. Mas acho-a original. Entretanto ocorreu-me, talvez "Crokete"ou "Pastel de Bacalhau"!

Croquete. Foto Original. 2021.10.09.jpg

A verdadeira "Pedra Parideira" ou a "Galinha dos Ovos de Pedra"!

Pedra Parideira. Foto Original. 2021.10.09.jpg

Obrigado pela sua leitura.

Quer tentar batizá-las também?!

Se visitar, respeite a Natureza. Não deixe lixo, SFF!

 

Eleições Autárquicas 2021 - Campanha(s)

Haja Paciência!

Grafiti Almada. Foto Original. 2019.07.13.jpg

Anda tudo numa grande azáfama, por aí.  Não haverá localidade deste nosso País em que não andem caravanas de candidatos a cargos e funções em freguesias, câmaras.

É bom sinal, que é uma forma de exercício da Democracia.

Mas… por outro lado, será apenas uma perceção minha, ou muito boa e santa gente anda por ali mais para ganhar protagonismo? Para dar nas vistas? Para eventuais e futuras benesses?!

Faz-me confusão que haja câmaras, com candidaturas até à dezena ou quase.

As promessas são mais que muitas. Anda por aí uma “bazuca” que é uma espécie de varinha de condão. Vai permitir fazer tudo e mais alguma coisa. De repente vão surgir verbas de todo o lado e vai-se construir tudo o desejado e pensado. Até os sonhos mais sonhados vão ser realidade a curto prazo.

Tanta publicidade. Tanta papelada. Tantos outdoors. Chamar-lhes ia antes “fora de portas”. Porque são um exagero. Não vejo necessidade de tanta poluição visual.

Costa Caparica. Foto original. 2020.08.24.jpg

Numa das minhas Cidades, “Cidade de Rio e de Mar”, para além desses fora de portas há uma quantidade de “outDores” anunciando “Obra” em todo e mais algum “buraco” que esteja espalhado pelo Concelho. Alguns desses “buracos” são monos que por ali estão, há dezenas de anos, englobando vários períodos de gestão autárquica.

Pois, em todos, caso ganhe determinada força política e candidata… “Vamos ter obra”! É só obrar!

E não gostando de ver tantos e tantos cartazes e outdoors, menos gosto ainda de ver cartazes rasgados ou grafitados. Pese embora eles possam ser realmente exagerados em quantidade e enormidade. Mas não devem ser destruídos.

E, sim, logo que acabe a campanha eleitoral, devem ser removidos o mais rápido que puderem. O que muita vez não acontece, que ficam por ali esquecidos.

Portalegre. Foto original. 2021.04.05.jpg

Noutra das minhas Cidades, “Cidade de Régio”, na 5ª feira ao final da manhã, deparei-me com uma caravana que subia a “Rua do Comércio”, mesmo ao cimo, para lá do Conservatório. Muita gente jovem, por sinal.

(Agora, muita juventude adere a algumas forças políticas, mais ligadas ao Poder. Dizem que é uma forma de se “aparelharem”. Dizem!)

Desviei-me. Segui pela “Rua da Paciência”. Sugestivo o nome!

Sobre a “Rua do Comércio”, é como quem diz. Que essa nomenclatura é para apenas uma parte dela e o comércio já se foi, há muito.

E não é de agora. Nem das últimas eleições. Foi um derivar do comércio para as proximidades da “Zona Industrial”. Decisões de há anos…Onde concentraram uma data de grandes superfícies.

Para os Senhores e Senhoras Candidatos/as, já deixei sugestões noutros postais.

Portalegre. Foto original. 2021.02.16.jpg

Por agora e por aqui me fico. Ficam as mensagens. Esperemos que os mensageiros as levem aos destinos certos!

Portalegre. Foto original. 2021.06.14.jpg

Obrigado pela sua atenção e votos de muita Saúde! 

Portalegre. Foto original. 2021.06.14.jpg

 

 

“Manifestação” de Camionistas em Estremoz!

Valha-nos a Santa “Internete”!

(Questões Pertinentes – Perguntas Impertinentes)

 

Entretanto, ainda ontem, já quase meia-noite, voltei à net a pesquisar.

“Manifestação de camionistas em Estremoz”.

Entre outras ligações, surgiu-me esta: Truck Festival”.

É caso para dizer que tanto barulho, tamanha chinfrineira, tal aparato, era para este “festival”. Festival de barulheira é o que foi!

E, eu, na minha” ilusão / ignorância”, a pensar que o pessoal reivindicava melhores acessos à Cidade! Santo Deus! Santa Internete!

Todavia, resolvi manter o texto escrito e, hoje, publicá-lo.

Este segundo postal pretende esclarecer o anterior.

E é caso para se dizer que, neste nosso querido País, se “distrai o pagode” com estes aparatos, enquanto os problemas fundamentais são mantidos “debaixo do tapete”!

Valham-nos as Santas Rotundas!

E lembrar, reforçado pelo facto de estarmos em campanhas eleitorais, de vir aí uma tal de “Bazuca”, ainda mais barulhenta que os buzinões, da importância de os vários municípios pensarem em “Obras” intermunicipais, de dimensão até nacional.

Senhores Autarcas,

Não se esqueçam do IP2 e dos vários estrangulamentos que tem no Norte Alentejano e que tardam em serem resolvidos.

  • Atravessamento dos Fortios: uma variante,
  • Cruzamento de Alagoa / Flor da Rosa,
  • Entrada em Portalegre,
  • Viaduto sobre a Linha de Leste, na respetiva estação de Portalegre,
  • Variante de Estremoz, a das célebres rotundas.

São troços mais do que necessários.

E, porque não reativar, melhorar devidamente a Linha do Leste, para passageiros e também para mercadorias?!

Estruturá-la, de modo que os milhares de contentores, que todos os dias e noites “circulam” por Estremoz – Vimieiro – Arraiolos – Montemor, idos e vindos de Lisboa e Badajoz, passem a ser transportados por via férrea, devidamente eletrificada e recuperada, de modo a retirar trânsito das estradas?

(Isto questiono eu, que nada sei! Valha-me a Santa Ignorância!)

 

Obrigado pela atenção. E votos de muita e Santa Saúde!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D