Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Votos de um Excelente 2023!

Consigo, finalmente, operacionalizar a publicação do primeiro postal de 2023!

Pôr-do-sol. Foto original. 30.12.22

Formulo votos de um excelente ano de 2023! Para todo o mundo. Para este Mundo, em que anda tudo às avessas. Mesmo, e principalmente, para os que tanto mal fazem, para que lhes entre alguma luz nas mentes, algum afeto no coração e que, tendo poder e força, convertam as suas ações, suas atitudes e comportamentos, em prol do Bem! É esse o meu desejo!

Para Si, Caro/a Leitor/a, que tem a amabilidade de nos acompanhar, votos redobrados de um óptimo Ano Novo. Com muita Saúde, com Paz! Que não lhe falte nada do que mais deseja. Também para todos os seus Familiares e Amigos.

A ilustração é com fotos ainda do ano passado.

De um pôr-do-sol!

De um quarto crescente lunar.

Quarto crescente. Foto original. 30.12.22.

(Ambas de 30 de Dezembro.)

(Certamente de algum local paradisíaco, frequentado na passagem do ano! De uma provável ilha, em país remoto, mas na moda, nestas coisas dos réveillons! Em resort luxuoso, apetecível para os artistas das novelas e dos “shows das irrealidades”, dos futebolistas e glamorosas esposas! Certamente! Os fios visíveis serão de algum teleférico em estância de neves?!)

Saúde! Paz! “Dinero e Amor”, com dizia a cantiga antiga!

E Humor, que não nos falte!

Que as nossas Governanças passaram das “Geringonças” para as Contradanças!

 

Arte Efémera III: Reportação para Alterações Climáticas

Arte Efémera III  e Arte Efémera II

Artes Efémeras II e III. Foto original. 06.12.22

Estou a escrever este postal, enquanto decorre o Marrocos – Portugal, quartos de final deste Mundial do Catar. Ou Qatar? Ronaldo está no banco. Eu, na cadeira, ao computador, olhando também a TV. Portugueses vestidos de branco. Não gosto. Marroquinos, de vermelho e verde. As cores nacionais também de Portugal. Interessante esta correlação!

Sigamos o desenrolar do jogo.

Mas não é propriamente sobre o Mundial que quero escrever.

Neste postal, pretendo reportar para o postal que publiquei em “Apeadeiro da Mata”.

Como se percebe nas fotos, as imagens com aqueles desenhos pontilhados no chão, realçando areias, resultaram da chuva caída dos beirais de um telheiro. No Quintal de Baixo – Aldeia da Mata – Alto Alentejo. Fotos de 6 de Dezembro.

Chuvas que, por essas Lisboas e arredores, provocaram enxurradas, inundações.

Interessante ouvir de pessoas responsáveis a imputação deste fenómeno às “mudanças / alterações climáticas”. Sem negar a importância desse paradigma tão realçado atualmente, bem pelo contrário, não quero deixar e no que diz respeito a enxurradas na Grande Lisboa, tanto a Norte, quanto a Sul, algumas considerações. Bitaites talvez!

Ignoram estes responsáveis certamente as lições da História, da Geografia, da Física, da Matemática, da Engenharia. Interligando todas estas Ciências Exatas e Sociais, relegam para plano secundaríssimo o Urbanismo, que é por demais ignorado nas nossas cidades!

Enxurradas na Grande Lisboa são periódicas e regulares. Sempre que chove um pouco mais. Lembram-se de 1967?!

E a Orografia da Cidade e arredores?! Quantas ribeiras entaipadas sob estradas? E a proximidade do Tejo, do mar e o efeito correlativo das marés?!

E as leis da Física, da Matemática?!

E as Engenharias e o Urbanismo têm tido em conta todas estas variáveis ao longo destes setenta ou oitenta anos em que a Grande Lisboa foi crescendo desmesuradamente?!

É preciso pensar e repensar o crescimento das cidades, enquadrando todas as variáveis passíveis de equacionar, para que seres humanos possam ter melhor qualidade de vida nas localidades em que têm de viver.

E tudo isto a partir de umas gotas de água repercutindo-se num solo arenoso.

Arte Efémera III. Foto original. 06.12.22

E o jogo continua, agora no intervalo, Portugal perde por um a zero e os marroquinos vestem de vermelho e verde e os portugueses de branco.

E quem vai ganhar?! E o Ronaldo vai sair do banco?! Dom Sebastião?!

Acabou de entrar, enquanto estava publicando este postal.

Os Meus "Momentos de Criatividade"!

Arte Efémera II. Foto original. 07.11.22

Instalação Artística (II)

Arte Efémera (II)

Arte Efémera II. Foto original. 07.11.22

Um Mobile de garrafões de água e de detergentes de roupa. Alguns de marca!

E um dos gatinhos do Quintal de Baixo observando e fazendo-se à foto. Uma Selfie?!

P.S. – Esta instalação “artística” (?) resultou de uma questão prática. A viga de cimento sobressai bastante do telhado. Ao sairmos ou entrarmos no cabanal arriscamo-nos a embater nela. A colocação dos elementos “artísticos” pretende torná-la visível, evitando hipotéticos embates.

Assim criámos um “mobile”, em permanente interação com os elementos, nomeadamente o vento! E enquadrado em Património identitário da Aldeia!

Arte Efémera II. Foto original. 07.11.22

Fazem parte da minha “Criatividade”! Cada um tem a sua! Cada é como cada qual!

 

Arte Efémera (I)

“Instalação Artística” ao Ar Livre!

Arte Efémera I Quintal de Cima Foto Original Out 22

Caro/a Leitor/a, ficará intrigado/a com este mostruário. Ademais com o atrevimento, certamente.

Ou curioso/a! Quererá saber onde poderá observar tal “ousadia ou picardia estética”!

Questionará. Serralves?! Centro de Arte Moderna?! …?! Noutro local ainda mais emblemático?!

Pois, lamento desiludi-lo/a, mas esta “Obra… talvez de Arte?!” encontra-se bem longe desses Grandes Centros de divulgação da Arte Moderna! E estará apenas muito brevemente em exposição. Por isso efémera.

Já tenho apresentado no blogue “Mostras de Arte”, resultantes de intervenção humana num contexto natural. As que mostrei resultaram de ações aleatórias. Esta também.

De que terá resultado?! (...)

Uma ação provocatória?! Iconoclasta?!

Arte Efémera I Quintal de Cima Foto Original Out 22

A roseira será o item que mais se queixará do atrevimento. Uma roseira que nos dá rosas tão lindas, por várias vezes figurando nos blogues, ser assim destratada.

Mas não será também o que muitas vezes acontece com os museus e certas obras que neles são apresentadas?!

Bem, deixemo-nos de especulações…

Onde está exposta?!

Pois, no meu “Quintal de Cima”! (Um dos poisos dos gatos. Hei-de escrever sobre os ditos.)

Saúde, paz e boa disposição. E boas visitas aos museus.

 

Sankt Maik – Série divertidíssima.

Série Alemã - RTP 2 - 22h

Ontem, 2ªfeira, 08/08/22, foi exibido o 5º episódio, da 1ª temporada, desta divertida série alemã. E, finalmente, o falso padre, que toda a comunidade julga que o é realmente, teve acesso à custódia original, de ouro. Valiosíssima!

E ficará ele com essa preciosidade, que tanto ambiciona, para destrocar em dinheiro e pagar as dívidas das falcatruas que tem feito mais o seu compincha de habilidades de carteirista?

Isso saberemos hoje à noite, que, entretanto, teve a visita inesperada, mas desejada e expectável, da senhora comissária de polícia. Já?! Mas que polícia eficiente, diremos!

Não! Ela não entrou na casa paroquial enquanto polícia, mas na qualidade de mulher. E que mulher! Ademais armada com uma poderosa garrafa de vinho, para afastar possíveis pruridos do padre. Do “padre”, que não é padre!

Estão a repetir esta 1ª temporada. Ignoro se para dar continuidade a segunda leva deste seriado.

O enredo centra-se no desempenho quotidiano de um suposto padre católico numa povoação do interior da Alemanha. Onde?! Não sei muito bem. Nem em Berlim sabem!

Vi, parcelarmente, alguns excertos de alguns episódios no decurso da primeira apresentação. E observei a narrativa precisamente na perspetiva do referido no parágrafo anterior. De que o protagonista principal era realmente um padre. Não vira o episódio inicial e não fiquei grudado na série. Precisamente porque achei que as ações do padre não correspondiam ao tipo normativo das respetivas funções eclesiásticas. Praticamente desisti de continuar a ver.

Faz hoje oito dias, na passada 3ªfeira, 02/08/22, voltaram à apresentação do seriado. E logo que, no 1º episódio, num comboio, um habilidoso revisor ia pedindo os bilhetes aos passageiros, aliviando-os simultaneamente das carteiras, dos telemóveis, do que que vinha a calhar…. Sempre com um sorriso e umas amáveis palavras! Fiquei pegado à TV. Porque a série prometia. (O habilidoso carteirista era o atual "padre"!)

E, realmente, cada episódio tem sido por demais interessante. Cenas de farsa, assentes fundamentalmente no facto de sabermos que ele não é sacerdote, mas a comunidade em que se inseriu acredita que é.

Simultaneamente também verdadeiro e emotivo, porque o jovem padre se insere socialmente muito bem e desempenha excecionalmente a função social do sacerdócio num contexto moderno, imbuído do espírito de ajuda aos outros, dos mais fragilizados.

Mas fico-me por aqui. Resumir os episódios anteriores é complicado e estou com pouquíssimo tempo.

Vejamos o 6º episódio!  Para sabermos como se vão desenrascar o senhor padre e a senhora comissária de polícia. Mais a garrafa de vinho. E a custódia!

A Custódia?! Raios partam o padre! A custódia de Belém?! Belém?!

Só se for Belém do Pará!

E paramos por aqui!

Saúde! Paz! E boa disposição!

 

Eleições Antecipadas 30/01/22

Antevéspera, 28 de janeiro de 2022.

Laranjeira Limoeiro. Foto original. 2022.01.26.jpg

Sobre as eleições antecipadas já escrevi:

Debate...

Debates-da-pre-campanha...

Eleicões-antecipadas-30-de-janeiro...

Eleições-legislativas-antecipadas...

Por agora, não vou “mandar vir” mais sobre o assunto! O que desejo é que os resultados das eleições sejam esclarecedores e permitam formar um governo de estabilidade.

E que a Covid abrande, permitindo votar em segurança.

Limoeiro Laranjeiro. Foto Original. 2022.01.26.jpg

As fotos?! Uma Laranjeira -limoeiro ou Limoeiro – laranjeira! Que não sei qual é o porta-enxerto.

(Num quintal, em Palmela.)

Quem ficará com a Laranja?! Quem ficará com o Limão?!

Saúde, muita. E Obrigado!

Debate A. Costa versus A. Ventura!

Gato escondido. Foto Original. 2021.12.25.jpg

Questões pertinentes – Perguntas impertinentes!

Gato a saltar. Foto original. 2021.12.24.jpg

E mais alguns bitaites.

 

Vi o debate entre A. Costa e A. Ventura, no dia seis de Janeiro de 2022, 5ª feira. (Foi “Dia de Reis”, mas eles, de reis, não têm nada. São republicanos.)

Se gostei? Não, não gostei.

Se acho que valeu a pena? Não, não valeu. Face à finalidade de um debate.

Demasiados “ataques pessoais”, alguns sem muito sentido e até desenquadrados.

Os temas fundamentais, que foram aflorados, depressa foram enrolados na “discussão” perniciosa.

Essa disputa exaltada foi ganhando energia, culminando na interrupção “forçada” do debate, pelo limite de tempo.

Protagonistas e moderador ensurdeciam-se, na vozearia em que a “contenda” terminou.

Se irei continuar a ver debates? Não me parece que tal venha a acontecer. Talvez um ou outro excerto.

Se fazem sentido? Talvez façam. Há certamente quem goste. Quem aprenda. Quem tire proveito. Quem se decida, através deles. Não sei! Cada Pessoa é uma Pessoa!

Atentei na expressão facial / corporal dos candidatos. António Costa parecia que ia ao sacrifício.  André Ventura lembra aqueles miúdos no recreio sempre prontos para darem bicadas nos outros. Na sala de aula, à espera da melhor oportunidade, para confrontar o professor.

Posturas…

No que respeita a escolhas…

(Entre estes dois?... António Costa e o respetivo partido andam há dezenas de anos nestas lides. Toda a gente conhece. Para o bem e para o mal!

André Ventura, aparentemente, anda há pouco tempo nisto. Mas já sabe a música toda. Traz no ADN, a carga genética mais negativa da política, isto é, vem submerso em demagogia. Vale tudo e o seu contrário.)

Há muito por onde escolher. Pelo que contei, há quase uma dezena de candidatos a primeiro-ministro. Todavia, só um poderá ser. E, na prática, só dois eventualmente terão alguma hipótese.

Não gosto do discurso, à posteriori. Fulano ganhou. Beltrano perdeu.

E ainda menos deste tipo de discurso face aos resultados eleitorais. Quem vai para o exercício das funções políticas, deverá ir com o espírito de servir. De servir, friso. Com humildade. Esse espírito de “cantar vitória” deverá ser de outros contextos.

 

Que a Covid abrande, é o que mais desejamos. Assim como está… se a abstenção já é grande…

Faz-me alguma confusão que, havendo tantos casos, não haja alguma contenção das pessoas.

 

Anteontem ouvi comentários sobre nova sondagem. Será impressão minha, ou as sondagens e respetiva divulgação e escalpelização minuciosa, por comentadores encartados, funciona mais como condicionamento, manipulação, do que informação?!

 

E sobre abstenção. Quando reorganizam os cadernos eleitorais? Quando operacionalizam novas modalidades de votação?

 

Votos de muita Saúde. Livres da Covid!

 

Debates da Pré-Campanha das Legislativas de 30/01/22

Nalguns casos é mesmo só para “arrenegar” o adversário!

Gato no muro. Foto Original. 2021.12.01.jpg

Aproximam-se as legislativas antecipadas. Iniciou-se a pré-campanha eleitoral.

Considero estas eleições uma perfeita desnecessidade! Já o referi em postais anteriores, a um e a dez de Novembro de 2021.

Preocupassem-se os dirigentes partidários com os interesses do País e tinham-se esforçado por negociar, todos eles, sem exceção, a começar pelo defensor do orçamento, o partido no governo.

Abstinham-se os partidos não governantes, “deixando passar” o orçamento.

Que Sua Excelência o Senhor Presidente da República deveria ter tido outra atuação?! Sem dúvida. Ao começar a falar em dissolução do Parlamento, em eleições antecipadas, foi como se tivesse dado música aos partidos. Foi um cântico de sereia!

E a acontecer o que era previsível na Covid. Ontem quase chegou aos quarenta mil novos casos!

Mas como o que eu penso não conta nem desconta para o assunto…. Começou a pré-campanha eleitoral com os célebres debates televisivos.

Concordo com a realização de debates entre os vários candidatos a primeiro-ministro. Dois a dois, “como manda a lei”!

Se gosto de ver debates? Muito sinceramente, não tenho grande paciência. Mas já ouvi alguns excertos. E vou lendo as notícias…Dos que vi, nas questões “debatidas”, alguns candidatos focam-se em pormenores não muito relevantes. Andam ali à volta e as questões essenciais ficam por debater.

Seria fundamental que cada partido apresentasse as respetivas propostas fundamentais para o país em domínios essenciais das respetivas políticas que defendem. O que muitas vezes não acontece.

Alguns indivíduos vão para ali só mandar bitaites, para “arrenegar” o adversário, como dizíamos em crianças, uns para os outros. (É só para te arrenegar!) Há um tipo então que é especialista nisso. Adiante…  

Quando nos pomos a olhar para estes políticos atuais, deste século XXI, até temos saudades dos políticos a seguir ao vinte e cinco de Abril de 74, que ajudaram a criar, a consolidar, a estruturar a Democracia.

Podendo ou não concordar com eles, revendo-nos nós ou não nas respetivas políticas e ideologias, mereciam-nos admiração, ademais, agora, à distância. Independentemente dos respetivos quadrantes político-ideológicos!

Poderia citar nomes, mas não o faço. O Caro/a Leitor/a conhecerá tão bem ou melhor do que eu!

O que posso acentuar, isso sim, é que os atuais políticos bem se podiam mirar neles.

E lá teremos de ir votar. Esperemos que a Covid abrande!

E será que nós não teremos também a nossa quota-parte de ação no alcance desse objetivo?!

Gatos no muro. Foto Original. 2021.10.28.jpg

(Mais uma vez, os gatinhos do meu quintal servem de ilustração a um postal.)

Muita Saúde!

 

Vamos à Fonte… do Boneco!

Fonte do Boneco?!

Fonte do Boneco. Foto Original. 2021.12.01.jpg

Uns bitaites sobre “Questões Pertinentes – Perguntas Impertinentes”!

Alguns provérbios e frases idiomáticas!

Se, ainda em pleno século XXI, houvesse por hábito e necessidade ir à fonte, como ainda o era, até meados dos anos sessenta do século XX, na minha Aldeia, qual seria o tema das conversas de hoje, dia quatro de Dezembro de dois mil e vinte e um?!

Vou tentar imaginar alguns assuntos que seriam abordados, hoje: 04/12/21. Como se as pessoas fossem às fontes buscar água para as necessidades diárias, principal ou quase exclusivamente as mulheres. Os homens iam mais com os animais, muares, vacas, a dar-lhes de beber, nos tanques anexos, que são bem visíveis nas imagens das fontes já apresentadas, em Aquém Tejo e no Apeadeiro. Fontes do Salto, da Bica, de Alter, bem como a do Boneco, para que nos reportamos hoje. Em todas estas o “tanque das bestas” é bem visível.

Temas plausíveis de destaque, no dia de hoje:

O jogo do Benfica – Sporting. O que posso perorar, sendo benfiquista?! “Futebol é arrebol” traduz, de certo modo, a minha perspetiva sobre futebol, futebóis e futebolices!

A questão do célebre “passageiro” que circulava de táxi(?!) num dia fatídico de há meses, na movimentadíssima Autoestrada seis (A6). (Também e em pleno, no meu Alentejo! Bem perto da Cidade sem Tempo...!) Que, finalmente, se ausentou da governação. É caso para dizer, que “mais vale tarde que nunca”!  É pela persistência, insistência, predominância de personagens assim e assado, na politiquice, que nos alheamos e fartamos da política!

E, “a talho de foice” viria a desnecessidade de eleições antecipadas!

E a Covid, que hoje quase atingiu os seis mil novos casos! (Há escassos meses, especialistas no assunto alertavam que, para Dezembro, atingiríamos os dois mil casos. Ora, esse valor foi atingido a 17 de Novembro. E, agora, já vamos quase nos 6000!!! Chegando o Inverno e lembrando, tristemente, Janeiro e Fevereiro deste 2021, o que poderá suceder nos correspondentes meses de 2022??  Vindo Natal e Ano Novo e toda a gente a andar no trolaró… Em Janeiro haverá restrições, já anunciadas. É caso para dizer que “após casa roubada, trancas à porta”.

Certamente viriam outras temáticas, treinadores de bancada é o que mais há, atualmente tanto homens como mulheres. Sobre o “idiomático e pertinente passageiro” muito mais se diria, muito se disse e escreveu nestes meses, nas redes virtuais. Os atuais pontos de encontro, cavaqueira, coscuvilhice, “mentideiros” … As fontes… de informação e verborreia, tantas vezes… De manipulação, também!

Também me fico por aqui. Já atingi uma página A4 de paleio. Vou convidar o/a Caro/a Leitor/a a apear-se… e irmos à Fonte do Boneco! Prosear ou apenas ver a paisagem.

Caminho da Fonte. Foto Original. 2021.12.01.jpg

Obrigado por me acompanhar até este momento. Votos de muita saúde!

 

O Pote da Fortuna!

O Vaso do Dinheiro!

Vaso do Dinheiro. Foto Original. 2021.04.02.jpg

Pote, vaso, bacio, penico, vaso de noite, … chame-lhe o que quiser.

Numa das minhas deambulações, passeatas pelos campos, deparei com este insólito achado.  Perdida a função utilitária, o valor de uso, foi por ali abandonado. Ficou a apanhar "moedas".

Será uma Metáfora?! Uma Ironia?! Uma pitada de Humor?!

Caro/a Leitor/a, faça a leitura que muito bem entender.

Poderá reportar-se, metafórica, irónica, humoradamente, para o resultado, para o desempenho da Seleção Nacional ou para os respetivos, correlativos e associados, que muito bem lhe aprouver.

Ou para uma “Obra de Arte”, a chamada “Trash Art”. Aqui só a Natureza interveio, construindo, produzindo esta Obra. Pouca intervenção humana, para além do “despejar o bacio”.

Não é bem feito despejar lixo em qualquer lado, mas neste caso ter-se-á reportado a épocas em que ainda não haveria recolha de lixo… Digo eu… sei lá!

Haja Saúde! Não nos falte a boa disposição, nem o sentido de Humor!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D