Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Postal Mil! 1000!

Milésimo postal, em Aquém Tejo!

Este é o meu postal nº 1000! Mil! O milésimo post, em “Aquém-Tejo”!

Nesta milésima missiva, a palavra fundamental: Obrigado!

Obrigado à Equipa SAPO, a todos os intervenientes nesta Entidade e Estrutura Comunicacional. Que me tem permitido, desde 8 de Outubro de 2014, expor, divulgar, publicar os meus textos, de variada índole, temática e estrutura. Os textos de Amigos meus. De conhecidos ou não, integrantes de várias Antologias de Poesia em que tenho participado. As fotos também de Amigos e/ou Familiares. Também as minhas, quase exclusivas, há relativamente pouco tempo. Divulgar assuntos que considero relevantes e alguns são-no mesmo, outros nem tanto. Dar a conhecer muitas realidades, eventos que os meios de comunicação divulgam pouco ou nada.

Temas, assuntos, abordagens, que de algum modo me tocam. Que estão “aquém”, me estão próximas, física, geográfica ou sentimentalmente.

Localidades, aldeias, vilas, cidades a que me ligo de algum modo.

E me permitiu criar outro blogue, desde 10 de Setembro de 2021! “Apeadeiro da Mata”!

(Aquém- Tejo já fez 7 anos! Sete anos dá direito a entrar e frequentar a “Escola Primária”!)

Rosa de Cheiro III. Foto Original. 2021.05.02.jpg

Obrigado às Pessoas que subscrevem o blogue. De algum modo penso, idealizo-as como destinatárias das “mensagens” que envio. Um postal é sempre uma mensagem, que emissor envia a destinatários, recetores dessa missiva.

Obrigado às Pessoas que subscrevo, que gosto sempre de ler ou ver, apreciar, os vários postais que vão publicando. Processa-se sempre comunicação, interação, apesar de a quase totalidade ser só conhecida virtualmente. Contextualizam-se aprendizagens, interações positivas.

Rosa de Cheiro V. Foto Original. 2021.05.02.jpg

Obrigado aos detentores de blogues que visito na plataforma SAPO ou noutras estruturas, com quem tenho sempre aprendido ao longo destes sete anos.

Obrigado aos Visitantes e Visualizadores dos postais do blogue, seja na plataforma SAPO ou noutras estruturas comunicacionais. As visitas, as visualizações, são um indicador precioso do processo de comunicação. São um barómetro, um perfil da adesão comunicacional. Dos assuntos mais relevantes.

Rosa de Cheiro VII. Foto Original. 2021.05.02.jpg

Obrigado a todas as Pessoas que tecem Comentários ou assinalam como Favoritos os diversos postais, com quem interajo sempre, com quem tenho aprendido sob variados aspetos. Que direta ou indiretamente formulam sugestões, que muitas vezes sigo, que me dão ideias para outros postais, alguns até se tendo tornado temáticos.

Tenho sempre a preocupação de agradecer. Porque num processo de comunicação deverá haver sempre um retorno. Se alguém “entra” no nosso “espaço” e nos diz algo simpático, merece sempre a nossa atenção e resposta. Um simples Obrigado até é bastante! Importa que seja “dito”, escrito.

Rosa de Cheiro VIII. Foto Original. 2021.05.06.jpg

E termino com uma quadra subordinada ao tema Obrigado e que já terei divulgado no blogue.

Obrigado é mais qu’uma palavra!

Nela se grava nobre sentimento

Sentir que nosso coração nos lavra

E em nós desbrava um nov’alento!

 *******

E que venham mais mil postais. Em Prosa ou em Verso. Com Fotos, de preferência.

(E, a propósito de fotos, são todas de “Rosas de Cheiro”!)

 

Fernando Pessoa - “Mensagem”

 

Prólogo

 

No blogue, já divulguei alguns dos Poetas e Poetisas consagrados/as que mais aprecio.

Já aqui apresentei abordagens sobre José Régio, Florbela Espanca, António Gedeão, Ary dos Santos, Luís Vaz de Camões, …

Hoje, “Dia de Portugal e de Camões”, divulgo Fernando Pessoa (1888 - 1935) e o início de “Mensagem”.

Post nº 535!

(…) (...)

 

*******

 

“Primeira Parte

Brasão

 

Os Campos

 

Primeiro

 

O Dos Castelos

8 – 12 – 1928”

 

*******

enciclopedia_sopena_1928_europa in. pasado en letras.com

 

«A Europa jaz, posta nos cotovelos:

De Oriente a Ocidente jaz, fitando,

E toldam-lhe românticos cabelos

Olhos gregos, lembrando.

 

O cotovelo esquerdo é recuado;

O direito é em ângulo disposto.

Aquele diz Itália onde é pousado;

Este diz Inglaterra onde, afastado,

A mão sustenta, em que se apoia o rosto.

 

Fita, com olhar esfíngico e fatal,

O Ocidente, futuro do passado.

 

O rosto com que fita é Portugal.»

 

 

In. “MENSAGEM - “Estante Editora” – 5ª edição - Aveiro – Agosto 2010.

 

Quadras Tradicionais I

Neste mês dos Santos Populares e, hoje dia 13 de Junho, Dia de Stº António, divulgamos umas quadras populares, de tradição alentejana, algumas certamente de caráter nacional.

Cantar-se-iam nos bailes, nos anos quarenta...

E porque, hoje, também é Dia de CANTE...

coco_preto. in: afabricadoschapeus.jpg

 

Quadras Populares

 

Da minha janela à tua

É um saltinho de cobra

Quem me dera chamar

À tua mãe minha sogra.

 

Chapéu preto desabado

Faz figura de ladrão

Ainda nunca me encontraste

A roubar teu coração.

 

Chapéu preto não se usa

Quem o tem não é ninguém

O que há–de o meu bem fazer

Ao chapéu preto que tem.

 

Já lá vai, já acabou

O tempo em que eu te amava

Tinha olhos e não via

Na cegueira que eu andava.

 

Minha mãe é minha amiga

Amiga de me compor

Põe-me o lenço na cabeça

Vai à missa, linda flor.

 

O coração mais os olhos

São dois amigos leais

Quando o coração está triste

Logo os olhos dão sinais.

 

Tu andas por aí dizendo

Que o meu rosto não tem graça

Também eu me posso gabar

Que te dei uma cabaça.

 

Teu pai, tua mãe não quer

Que eu contigo à porta fale

Queres tu amor, mais eu

Que o falar deles não vale.

 

 

Quadras recolhidas por D. Maria Belo, Aldeia da Mata, 2014.

Publicado em Jornal "A MENSAGEM" 2015.

Boletim Cultural de "Mensageiro da Poesia" Nº 135 - Jul. / Ago. 2016

 

 

P.S. - Não sei se ainda hoje volto a escrever sobre "Crime e Castigo"

Consultar também:

quadras-almada-santos-populares

sete-quadras-soltas-

poesias-mata-aldeia-e-encanto-saudade 

encontro-de-cantares-alentejanos

Quadras Tradicionais VI

Cantigas de Oito Pontos - Amor pra Toda a Vida!

Mais sobre mim

foto do autor

Posts mais Comentados

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D