Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

25.Abr.18

Vinte e Cinco de Abril e Poesia!

Francisco Carita Mata
Liberdade! Liberdade de Expressão! Liberdade de Reunião! Ultimamente, tenho escrito pouco e publicado ainda menos.Outros projetos. Outras atividades… No blogue, todavia, a Poesia tem estado bem presente. Neste ano de 2018, dos posts publicados, a maioria foram dedicados, direta ou indiretamente, a esta Arte. Neste Dia tão especial, hoje - 25 de Abril, voltamos à Poesia.Nesta data, que entre outros Valores, vincou o da Liberdade e, neste, frisou a Liberdade de Expressão, que (...)
21.Mar.18

Dia Mundial da Poesia – 2018

Francisco Carita Mata
Viva a Poesia!  Hoje, dia 21 de Março, comemora-se, entre outras efemérides, o “Dia Mundial da Poesia”! Várias organizações lembram, neste dia, muito especialmente a Poesia. O Círculo Nacional D’Arte e Poesia – CNAP – já festejou, ontem, a Poesia, como habitualmente, no Centro de Dia de São Sebastião da Pedreira. Compareceram António Silva, Carlos Pinto Ribeiro, Carlos Santos (...)
27.Jan.18

Portalegre tem um “Passadiço”?

Francisco Carita Mata
Passadiço?! Talvez se admire da pergunta e talvez pense que não fará muito sentido. Provavelmente “Passadiço”, como outros que há pelo País ou como os do “Paiva”… Bem! Talvez não tenha.Se acrescentarmos o costume crónico de desvalorizarmos o que temos… Bem!... Então não temos mesmo! Mas se tiver oportunidade de dar um passeio a pé, em (...)
26.Jan.18

“Cabras Sapadoras” – 'Batismo' Polémico!

Francisco Carita Mata
Mais uma Reflexão sobre a Prevenção dos Fogos Florestais!!! Estamos quase no final de Janeiro, deste ano de 2018, que ainda mal se iniciou. Como tem acontecido nestes últimos três anos, pouco tem chovido. Os ribeiros nem sequer correm. E faz imensa falta chover! Todos sabemos o ano trágico que foi o de 2017, a partir do grande incêndio de Pedrogão, a 17 de Junho, ainda não se tinha iniciado o Verão e todos os que (...)