Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aquém Tejo

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Há quem do Tejo só veja o além porque é distância. Mas quem de Além Tejo almeja um sabor, uma fragrância, estando aquém ou além verseja, do Alentejo a substância.

Rosa Encarnada!

"Ao findar da madrugada."

 

Há dias em que o processo criativo como que emperra e, por mais que se tente, há um certo bloqueio que impede o ato criador.

Tenho pelo menos dois temas previstos, o habitual “conto” sobre a série “El Príncipe” e pelo menos uma crónica: sobre o 6º Serão de Cante e Poesia Alentejana”. Também poderia cronicar sobre o lançamento de um livro sobre Timor, de um sócio da A.P.P. – Associação Portuguesa de Poetas.

Mas não saiu nada do previsto.

Em contrapartida, ontem, durante o dia, foi-me “surgindo” uma quadra, como me acontece por vezes, mas que nem sempre “passo ao papel”. A de ontem escrevi-a e, após várias versões, resolvi publicar a que se segue.

Há muito que aqui não divulgo uns versos, muito menos da minha autoria.

Nem ilustro com fotos originais originais de D.A.P.L.

Rosas encarnadas Foto original DAPL 2016.jpg

 

Segue-se a quadra:

 

Ao cimo da nossa rua

Floriu a rosa encarnada

Nasceu dum raio de lua

Ao findar da madrugada.

 

Nascer do sol Foto original DAPL 2016.jpg

 

Nota Final:

As fotografias, como já mencionei, são originais de D.A.P.L. Sendo de 2016, mas do Verão, portanto anteriores à materialização da quadra. Pretendem ser sugestões para as ideias subjacentes ao texto.

Até ao próximo post! 

XIII Antologia de Poesia do CNAP – Poema: “Homenagem aos Idosos"

Círculo Nacional D’Arte e Poesia

 

Antologia

 

Depois de um interregno na divulgação de Poemas da Antologia, regressamos, no cumprimento do objetivo que nos propusemos. Divulgar um Poema de cada um dos Antologiados.

Neste Post Nº 291, damos a conhecer no blogue, “Homenagem aos Idosos”, de Joaquina da Conceição Martins Semedo, de Urra, Portalegre.

 

“Homenagem aos Idosos”

 

"Ser idoso é ter coragem

Para a realidade enfrentar

Eu lhe mando minha mensagem

Não se esquecem de rezar.

 

Não esqueçam a oração

Que nos ajuda a viver

Para na mesa haver pão

Temos que a Deus agradecer.

 

Ninguém esqueça o valor

Da arma de São José

A dor é o grande amor

A oração e a fé.

 

Que o amor seja igual

Eu peço na minha oração

Não seja só no Natal

Mas sim em toda a junção.

 

Que haja uma luz divinal

Que haja mais compreensão

Que em todo o mundo em geral

Que nunca faltasse o pão.

 

Em letras venho mandar

Numa linda florinha

Para todos saudar

Seja idoso ou idosinha.

 

Para todo o idosinho

Que se fartou com trabalhar

Mando-lhe um beijo em pergaminho

Para todos homenagear."

 

 

Joaquina da Conceição Martins Semedo, Urra (Portalegre)

 

E ilustra-se o Poema, com uma imagem com que também já ilustrei uma Quadra sobre o Natal!

 

estrelas-brilhantes (www.MuitasImagens.com).jpg

 

“Que haja uma luz divinal”

 

 

No Céu há milhões d'estrelas

 

 

estrelas-brilhantes (www.MuitasImagens.com).

 

 

NATAL

 

 

No Céu há milhões d’estrelas

Todas elas a brilhar.

Deus Menino, no meio d’elas

Vai descer, p’ra nos salvar.

 

Um Santo Natal. Cartão APBP Caldas Rainha jpg

 

 

Quadra escrita em 2005.

Publicada:

Boletim Cultural Nº 80 do C.N.A.P., Ano XVII, Dez. 2006.

Boletim Cultural Nº 109 do C.N.A.P., Ano XXIII, Dez. 2012.

Foto de estrelas, in: www.Muitas Imagens.com.

 

 

 

 

 

Novembro: Lembrar quem partiu...

NOVEMBRO, Outono...

 

Outono da Vida. É tempo de lembrar que já tivémos primavera, verão e que se aproxima o inverno.

Lembranças de quem partiu... Lembrar os Entes queridos que já fizeram o périplo da Vida e que nos deixaram saudades...

Todos nós e cada um de nós segue este caminho inexorável.

Quem não tem Alguém que recorde com estima e amizade e a quem já não pode dizer como dói a Saudade?!  

Quando ler esta simples e despretensiosa quadra, lembre-se de Quem partiu...

 

 ABALASTE...

 

Ao morrer alguém amigo

Um pouco de nós vai com ele.

Abalaste. Foi contigo

Um pouco da minha pele!

 

(Quadra publicada no Boletim da Associação Portuguesa de Poetas, Jan. 1990.)

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D